Jovem com paralisia cerebral motora lança livro de poesias produzido durante a pandemia - Notícias

Versão mobile

 
 

Restinga31/08/2021 | 05h00Atualizada em 31/08/2021 | 05h00

Jovem com paralisia cerebral motora lança livro de poesias produzido durante a pandemia

Colocar na folha em branco seus sentimentos a ajudou Luana Leites, 21 anos, a lidar com o preconceito

Jovem com paralisia cerebral motora lança livro de poesias produzido durante a pandemia Anselmo Cunha / Agencia RBS/Agencia RBS
"Escrevendo, me sinto livre", diz a estudante de 21 anos Foto: Anselmo Cunha / Agencia RBS / Agencia RBS

Olhando para a janela de sua casa, no bairro Restinga, em Porto Alegre, a estudante de Letras Luana Leites, 21 anos, sentiu-se inspirada para escrever poesias. Desde os 11 anos, colocar na folha em branco seus sentimentos e pensamentos sobre a vida foi a forma que ela encontrou para lidar com o preconceito. A jovem tem paralisia cerebral motora e está lançando o Diário Poético – livro em formatos digital e audiolivro – produzido durante a pandemia. 

Para Luana, o livro é uma oportunidade de quebrar os padrões do capacitismo (achar que pessoas com deficiência são menos capazes do que as pessoas sem deficiência), que ainda está presente na sociedade. 

LEIA MAIS
Profissionais investem na construção de vínculos para tratar saúde mental na periferia
Escola municipal da Capital incentiva valorização da cultura indígena
Aos 85 anos, agricultor conquista vaga na universidade: "Não me sentia completo"

– Muitas pessoas subestimam a capacidade de pessoas portadoras de necessidades especiais, por acreditarem que não podemos participar de forma ativa e, tampouco, estarmos inseridos na sociedade – afirma a jovem. 

Luana recorda que a percepção sobre os pensamentos poéticos ocorreu durante as sessões de fisioterapia, quando ela recebeu a sugestão de escrever as frases aleatórias que vinham a sua cabeça. Além das circunstâncias vividas, Luana é inspirada por grandes nomes da música nacional, como Cazuza, Caetano Veloso e, principalmente, Renato Russo. 

– Escrevo sobre várias coisas, mais sobre sentimentos e sobre a vida. Escrevo também como terapia, porque o preconceito era e é tão pesado. A literatura sempre me ajudou a enfrentar as dificuldades de aceitação, já que escrevendo eu me sentia e me sinto livre – conta. 

Possibilidades

Luana teve o apoio do produtor Vinicius Mello, 34 anos, para a criação do Diário Poético. Segundo Vinicius, ela se destaca pela forma de lidar com o bullying e transformar essas vivências em poesias. 

– É uma poesia tão delicada, que ajuda a fugir da realidade. Também é sobre ter condições e inúmeras possibilidades. Ela é uma pessoa com deficiência e escreveu um livro, não tem o porém nessa frase – explica. 

Para a mãe de Luana, a dona de casa Iracilda Leites, 50 anos, o livro é resultado de esforço e de dedicação da filha em aprender. 

– Ela é criativa até demais. Eu sempre disse que a Luana veio assim e não trouxe junto o manual. Aprendi a lutar com ela e por ela. Ela se esforça para os seus projetos. Aprendeu a mexer no computador sozinha e escreve tudo – relata. 

Entre as mais de 35 poesias, Luana escreveu sobre a vida e até sobre a pandemia por metáforas. Conforme Vinicius, são um respiro em meio à realidade.

– Quando as pessoas leem as poesias da Lulu, percebem que arte cura, que ela salva – afirma.  

Porto Alegre, RS, Brasil - 27/08/2021 - Jovem com paralisia escreve livro de poesias e distribui em escolas. Na foto: Luana Leites. Foto: Anselmo Cunha/Agência RBS<!-- NICAID(14874665) -->
Luana começou a escrever aos 11 anosFoto: Anselmo Cunha / Agencia RBS

Distribuição para escolas

O livro de poesias é um projeto executado por meio do Edital Criação e Formação Diversidade das Culturas, realizado com recursos da Lei Aldir Blanc, e será distribuído gratuitamente para escolas da rede pública, municipal e estadual, e também para as privadas que tenham interesse no material. 

– Este projeto mostrará a importância da poesia, para refletir sobre a vida, se sentir compreendido enquanto ser social e humano, incentivando as pessoas em toda sua diversidade a se expressarem, e não reprimir os seus sentimentos – destaca Luana. 

Segundo Vinicius, assim que houver a possibilidade com segurança, Luana também poderá ir até as escolas para contar sobre a produção do material.

– Quero ser um exemplo, transmitir coragem para pessoas parecidas ou iguais a mim, para que realizem e nunca desistam de seus sonhos, por mais dificuldades que encontrem. Seja qual for o sonho, seja qual for a dificuldade, somos capazes – conclui a jovem.

Para obter o livro

/// As escolas públicas e privadas, interessadas em adquirir o material de forma gratuita, podem entrar em contato pelo telefone (51) 99361-4865 ou pelo Instagram @diariopoeticodiario.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho 


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros