Pai ganha triciclo dos filhos para conseguir pedalar aos 82 anos - Notícias

Versão mobile

 
 

Litoral Norte20/08/2021 | 21h36Atualizada em 20/08/2021 | 21h36

Pai ganha triciclo dos filhos para conseguir pedalar aos 82 anos

Seu Vicente compara o momento atual de vida às descobertas da adolescência

Vicente Alminhana, 82 anos, sempre teve a casa cheia. Seus pais geraram 20 filhos. Quando criança, lidou no campo, em uma chácara no interior de Santo Antônio da Patrulha, no Litoral Norte, e ajudou na criação dos irmãos. Com as responsabilidades, precisou deixar para mais tarde atividades comuns à infância - segundo os familiares, pouco brincou.

— Teve uma vida bem difícil na roça — conta o advogado Maurício Alminhana, 39 anos, filho do seu Vicente.

No início da vida adulta, se mudou para Porto Alegre, estabeleceu morada e por mais de quatro décadas tocou uma fábrica de móveis sob medida.

Retornou ao litoral, dessa vez para Tramandaí, em 2016, já aposentado. Com a calmaria da praia, reiniciou a busca por algo que para a maioria das pessoas é trivial: andar de bicicleta.

O desejo que havia ficado pra trás se concretizou no último Dia dos Pais, quando foi presenteado com um triciclo.

— Esse aqui não vira — garante, sobre o banco da bike de três aros.

Tramandaí, RS, BRASIL, 20/08/2021 - Vicente Alminhana, morador de Tramandaí ganhou dos filhos uma bicicleta de 3 rodas. Ele não sabia pedalar e está aprendendo, aos 82 anos. Foto: Agencia RBS / Agencia RBS<!-- NICAID(14867337) -->
Alminhana utiliza o triciclo para fazer comprasFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

Um cestinho instalado sobre o quadro possibilita idas à feira, nos dias de sol - quando chove, ele pedala na garagem do edifício. O veículo tem duas rodas traseiras e uma dianteira, e é bastante comum no município, segundo o idoso. Ele próprio já havia comentado que tinha vontade de adquirir uma unidade semelhante.

— Ele falou pra gente que com esse conseguiria, aí resolvemos dar de presente. É uma alegria ver ele pra cima e pra baixo, não para, anda três, até cinco quilômetros — detalha a esposa, Noeli Soares, 67 anos.

Um vídeo postado nas redes sociais da nora, Daniane Hilário, mostra o sogro pedalando atrás da neta, em direção ao mar. Paola, de apenas três anos de idade, ganha velocidade e deixa o avô pra trás. Ele se enrola um pouco nos pedais, mas não dá importância. Provocado sobre ter “perdido” a corrida para a garota, desconversa: "ela é sangue novo" - se diverte mais uma vez.

Nesta sexta-feira (20), a reportagem de GZH acompanhou o novo ciclista. Alminhana pedalou do seu imóvel até o calçadão da cidade, dois quarteirões percorridos com destreza - já com habilidade visivelmente superior à vista nas gravações. Contornou o letreiro com o nome do balneário, curvas vencidas sem dificuldade.

Leia mais
Cris Silva: "Asas para velejar"
Em Cachoeirinha, vizinhos organizam mutirão de limpeza em área abandonada
Graças a ONG, adolescente de Gravataí terá festa de 15 anos

Bem-humorado, ele compara a etapa atual com a adolescência, quando tentou compensar o tempo perdido para aprender a pedalar.

— Eu tentei, mas tinha que olhar pra um lado, pro outro, não me coordenava. Aí desisti, tive que trabalhar. Com essa aqui é fácil, e muito bom — afirma.

Com o vento no rosto, repete a todo instante, “muito bom, muito bom”. Ao vivo na Rádio Gaúcha, ele deixa um recado para a jornalista Rosane de Oliveira - 20 anos mais jovem, a analista de política do jornal Zero Hora ainda não se encorajou à pedalar.

— Nunca é tarde, Rosane, compra um triciclo igual o meu — orienta.

A colunista rebateu:

— Fiquei emocionada com o recado e convencida de que chegou a hora de comprar um.

Confira a entrevista de Vicente Alminhana ao programa Gaúcha Hoje

Esta reportagem foi feita a partir de uma sugestão da leitora Vera Pastro enviada para o WhatsApp de GZH (51)99667-4125.


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros