Escolas da rede estadual têm até 17 de setembro para iniciar aulas de reforço de português e matemática - Notícias

Versão mobile

 
 

Português e matemática03/09/2021 | 21h46Atualizada em 03/09/2021 | 21h46

Escolas da rede estadual têm até 17 de setembro para iniciar aulas de reforço de português e matemática

Ampliação da carga horária visa recuperar perdas de aprendizagem ocorridas durante a pandemia

Escolas da rede estadual têm até 17 de setembro para iniciar aulas de reforço de português e matemática Anselmo Cunha / Agencia RBS/Agencia RBS
As instituições que finalizarem os preparativos poderão iniciar as aulas de reforço antes do fim do prazo Foto: Anselmo Cunha / Agencia RBS / Agencia RBS

A ampliação da carga horária de Língua Portuguesa e Matemática na rede estadual de ensino ainda está em preparação. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), no mês passado, escolas começaram a fazer ajustes administrativos internos. O prazo para que isso ocorra é o dia 17 de setembro. 

As instituições que finalizarem os preparativos poderão iniciar as aulas de reforço antes do fim do prazo. A Seduc não informou, até o fechamento desta reportagem, quantas escolas já conseguiram ampliar a carga horária.

LEIA MAIS
Aulas domiciliares ajudam estudantes a enfrentar perdas de aprendizagem com a pandemia em Esteio
Previsto para ser oferecido em metade das escolas até 2024, ensino de tempo integral ainda é escasso no RS

O reforço nas disciplinas prevê um aumento de cinco horas/aula semanais – duas para Língua Portuguesa e três para Matemática – e a contratação de 4 mil professores temporários. As horas extras visam recuperar perdas de aprendizagem ocorridas durante a pandemia.

O motivo informado pela Seduc para o adiamento do prazo para a adaptação das novas matrizes curriculares foi a necessidade de dar mais tempo para que as escolas façam ajustes administrativos internos. Segundo o Cpers/Sindicato, há, porém, outro motivo: não houve docentes interessados o suficiente, por enquanto, para viabilizar o programa.

— Mesmo antes da ampliação da carga horária, já recebíamos relatos de escolas que não tinham professores dessas disciplinas. Em Torres, por exemplo, uma escola não tinha professor de Língua Portuguesa desde o início do ano. Em Guaporé, das 75 vagas abertas, apenas uma foi preenchida — cita a diretora da Comissão de Educação do Cpers, Rosane Zan.

Para Rosane, a falta de procura se deve à baixa atratividade da carreira de professor na rede estadual, diante de atrasos na folha de pagamento – que atualmente não ocorrem – e do congelamento salarial. A diretora do sindicato critica, ainda, que a mudança esteja sendo feita no meio do ano letivo.

— A escola faz toda uma organização, no início do ano letivo, e isso desorganiza totalmente. É importante preparar o programa e iniciá-lo em 2022, mas não só com Língua Portuguesa e Matemática, e sim para todas as disciplinas, que também fazem parte da construção do conhecimento do alunado — defende Rosane.

A ideia de reforço na carga horária de Língua Portuguesa e Matemática é fruto da avaliação diagnóstica realizada pela Seduc no primeiro semestre. Enquanto os estudantes dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (do primeiro ao quinto ano) acertaram em média 70% das provas de Língua Portuguesa e Matemática, o percentual ficou em 67% entre os dos Anos Finais (do sexto ao nono ano) e em 56% entre os de Ensino Médio. Os testes verificaram os conhecimentos adquiridos pelos estudantes no ano anterior, quando a maioria deles estava uma série abaixo da atual.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros