Após publicação no DG, cães desaparecidos são encontrados por suas famílias  - Notícias

Versão mobile

 
 

Cadê meu bichinho?04/10/2021 | 11h09Atualizada em 04/10/2021 | 11h09

Após publicação no DG, cães desaparecidos são encontrados por suas famílias 

Lisandria procurou por dois anos a cadelinha Lara

Após publicação no DG, cães desaparecidos são encontrados por suas famílias  Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Após longo período de busca, a família reencontrou Lara Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Para muitas pessoas, os mascotes fazem parte da família. O vínculo que criam com os animais se convertem em relações profundas de amizade. E a tristeza é grande se eles se perdem. Pensando em ajudar donos a reencontrarem seus pets perdidos, o Diário mantém a seção Cadê Meu Bichinho?. Nela, é possível publicar, sem custos, dados do animal para que mais pessoas possam ajudar nesta busca. 

Dois casos de cães que estavam desaparecidos havia mais de um ano foram publicados diversas vezes na seção e, felizmente, seus donos os reencontraram. São as histórias de Lara e Lola que serão contadas a seguir. 

LEIA MAIS
App promove doações para entidades aliadas no cuidado aos bichinhos
Saúde animal: saiba identificar os sintomas da cinomose
Projeto incentiva a adoção de cães acolhidos pelo Canil Municipal de Esteio

Foram mais de dois anos de espera até que a dona de casa Lisandria Rocha, 39 anos, reencontrasse Lara, a cachorra da família. Foi em julho de 2019 que o animal sumiu de casa, fazendo com que a tutora iniciasse uma intensa busca. Após muitas divulgações do perfil de Lara em redes sociais e no DG, no dia 23 de setembro deste ano, ela finalmente foi reencontrada. 

Lisandria, moradora do bairro Jardim Krahe, em Viamão, conta que adotou o bichinho ainda filhote e, por dez anos, esteve com ele. Porém, após reclamações de que latia muito, Lara desapareceu de seu pátio. O que ficou foi a suspeita de que fora levada por alguém. Imediatamente, Lisandria passou a andar por toda a cidade atrás de sua mascote, espalhando cartazes em diferentes locais do município. 

_ Assim que perdi a Lara, eu não dormia de noite. Foi torturante pra mim esses dois anos de busca, por não saber o que aconteceu, se fizeram uma maldade, se levaram para longe ou largaram na rua. E aquela incerteza doía, mas minha esperança estava nas pessoas que ajudavam a compartilhar (a história) _ comenta a dona de casa, que criou uma página no Facebook onde publicava conteúdos sobre a cachorra. 

Rede de apoio

Durante esses dois anos, muitas pessoas passaram a acompanhar a busca da família pelo animal. Nas redes sociais, ajudavam a tutora, compartilhando as informações de Lara para outros grupos. Ela fala que o apoio foi tão grande que, inclusive, chegaram a fazer promessas de fé e correntes de oração pela família. 

Lisandria participou algumas vezes da seção Cadê meu Bichinho?, e foi a partir da última divulgação, publicada no dia 2 de setembro, que finalmente reencontrou o animal. Ela explica que, no dia 23, estava limpando seu pátio quando o filho avisou que haviam recebido a ligação de uma senhora, querendo falar sobre a Lara. Em um primeiro momento, pensou que seria só mais um contato _ durante seu tempo de busca, muitas pessoas ligaram para falar de cães parecidos com a mascote. Mas quando viu que realmente era a cachorra da família não conseguiu conter a emoção.  

_ Eu sempre acreditei que ela estivesse com alguém, em algum lugar. Sempre botei em minha mente que um dia eu iria achá-la, independente do tempo _ relata a tutora, emocionada.  

Para sua surpresa, Lara estava em Alvorada, município vizinho. A senhora que cuidou dela durante esses anos contou que adotou o animal em uma pet shop. O cão foi entregue ao estabelecimento por alguém que afirmou que ela sofria maus tratos. A situação reforça a desconfiança de Lisandria sobre Lara ter sido levada de sua casa. 

Apesar da incerteza sobre o que de fato ocorreu com o animal, agora comemora o final feliz de sua procura.

Lola reencontra tutores após um ano

A comerciante Franciele Costa Campos, 31 anos, moradora de Águas Claras, em Viamão, diz que não acreditou quando viu a cachorrinha Lola exatamente um ano após o animal ter desaparecido. No dia 17 de agosto, um senhor procurou a família dizendo que havia visto a publicação do Diário Gaúcho de um ano antes, sobre o desaparecimento da cachorrinha. 

Na edição de 23 de setembro de 2020, a seção Cadê meu Bichinho? contou que Lola havia desaparecido na Estrada do Cemitério, na Parada 90 de Águas Claras.

_ Este senhor achou o jornal e me trouxe ela de volta. Quando eu a vi não acreditei_ conta Franciele, explicando que Lola é o xodó da família.

Segundo a comerciante, em poucos minutos, a cachorrinha demonstrou ter reconhecido a tutora, que relembra a felicidade que sentiu no momento do reencontro:

_ Procuramos ela por praticamente um ano. Eu estava perdendo as esperanças, mas tudo deu certo. Estou realizada com minha Lola. Agora a felicidade está completa.

Produção: Émerson Santos e Kênia Fialho

   Leia mais notícias na seção Bicharada 


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros