Orquestra Villa-Lobos cancela oficinas de música para mais de 300 crianças e adolescentes - Notícias

Versão mobile

 
 

Desamparo público22/10/2021 | 05h00Atualizada em 22/10/2021 | 05h00

Orquestra Villa-Lobos cancela oficinas de música para mais de 300 crianças e adolescentes

Atividades não ocorrem desde o início do mês por falta de verbas

Orquestra Villa-Lobos cancela oficinas de música para mais de 300 crianças e adolescentes André Ávila / Agencia RBS/Agencia RBS
Os ensaios e apresentações do grupo permanecem acontecendo Foto: André Ávila / Agencia RBS / Agencia RBS

Desde o início deste mês, a Orquestra Villa-Lobos (OVL) está com as suas atividades pedagógicas, também chamadas de oficinas de música, paralisadas. Isso ocorre porque a instituição está sem receber recursos da prefeitura de Porto Alegre, sua mantenedora, há 19 meses. O órgão público era responsável, por meio da Secretaria Municipal de Educação, pelo pagamento de 20 educadores, que trabalhavam com mais de 300 crianças e adolescentes nestas atividades.

Leia mais
Ocupação que abriga mulheres vítimas de violência doméstica está sem luz na Capital
Vizinhos acolhem cães que aguardam novas famílias 
Moradores da Capital contam como substituem a carne bovina 

O corte de verba pública aconteceu no início da pandemia e troca da administração municipal. Desde então, a orquestra tem mobilizado a comunidade, abrangendo pessoas físicas e empresas, a fim de permanecer com as oficinas que, segundo a professora e regente da orquestra, Cecília Rheigantz Silveira, são a base da instituição.

Uma campanha de financiamento coletivo, com o intuito de arrecadar fundos para o pagamento destes profissionais, foi desenvolvida neste ano. Segundo a regente, esta iniciativa foi importante "para dar uma respirada", uma vez que foram arrecadados cerca de R$ 80 mil, doados por 400 pessoas e empresas. Porém, o dinheiro durou até o fim de setembro.

Editais

Cecília comentou que a situação está sendo arrastada pela prefeitura e que o grupo está no aguardo de alguma resposta positiva e/ou alguma resolução do caso, uma vez que a OVL tem o principal, "que são os jovens tentando lidar com a pandemia na melhor maneira possível".

O prefeitura informa que serão lançados, ainda neste ano, quatro editais nas áreas da Cultura e da Educação, "que possibilitarão que orquestras como a Villa-Lobos possam participar e dar continuidade em seus projetos".

Os ensaios e apresentações do grupo, que abrange 20 músicos, permanecem acontecendo sob o comando da regente Cecília. Ela afirma que esta parte da orquestra não foi afetada uma vez que "estas pessoas já fazem parte das atividades artísticas, com as quais a prefeitura nunca se envolveu".

Para ajudar a Orquestra Villa-Lobos, entre em contato pelo e-mail orquestravillalobos@terra.com.br.

Ajuda do governo da Alemanha

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL - 2021.04.10 - Governo alemão reconhece trabalho feito pela Orquestra Villa-lobos. (Foto: ANDRÉ ÁVILA/ Agência RBS)<!-- NICAID(14906174) -->
Verba oriunda da Alemanha foi recebida em setembroFoto: André Ávila / Agencia RBS

Se o recurso local não veio, por outro lado, a Orquestra Villa-Lobos celebra a conquista de uma verba vinda da Alemanha. O grupo ganhou 22,7 mil euros (cerca de R$ 140 mil) do governo alemão, em setembro, por meio do Relief Fund for Organizations in Culture and Education 2021 — um fundo que visa reduzir os impactos da pandemia de covid-19 em projetos culturais e de educação do mundo inteiro. O projeto é desenvolvido pelo Ministério das Relações Exteriores alemão e pelo Goethe-Institut. Foram 141 projetos, selecionados por um júri, de um total de 440 inscrições.

Para poder concorrer a esse incentivo, a regente da orquestra Cecília Rheigantz Silveira precisou especificar três inciativas para onde o dinheiro seria destinado — a verba não pode ser usada, no caso, para as oficinas de música paralisadas por falta do repasse municipal. 

A primeira engloba a melhoria nas instalações da OVL, localizada na Escola Municipal de Ensino Fundamental Heitor Villa-Lobos, na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre. Cecília especifica que precisa desde a compra de cartuchos para a impressora até a contratação de um profissional para a afinação de piano. O segundo projeto é uma bolsa de estudos para os 20 participantes da orquestra. Estes músicos receberão 77 euros mensais (cerca de R$ 450) para atuar no grupo. A terceira iniciativa citada ao governo alemão é de uma grande produção artística em forma de um videoclipe. Este contemplará artistas da Lomba do Pinheiro que não participam da orquestra, como o rapper Preto X — considerado a voz da comunidade por meio do rap. 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros