Estudante escolhida pelo projeto Amplifica POA tem música autoral gravada - Notícias

Versão mobile

 
 

Talento20/12/2021 | 05h00Atualizada em 20/12/2021 | 05h00

Estudante escolhida pelo projeto Amplifica POA tem música autoral gravada

Laura Fanti, 15 anos, foi selecionada em concurso cultural entre escolas públicas

Estudante escolhida pelo projeto Amplifica POA tem música autoral gravada André Ávila / Agencia RBS/Agencia RBS
Laura escreveu sua música e foi gravar em estúdio Foto: André Ávila / Agencia RBS / Agencia RBS

Na busca por novos talentos, estudantes de escolas públicas de Porto Alegre tiveram a oportunidade de inscrever projetos musicais inéditos no Amplifica POA. O concurso cultural do estúdio E12 Records com a agência de marketing digital Lado C, foi uma contrapartida por subsídio da Lei Aldir Blanc. A estudante escolhida foi Laura Fanti, do Colégio Júlio de Castilhos. Ela recebeu a produção completa de um single, com gravação em estúdio, mixagem e lançamento da música.

LEIA MAIS
Concurso em Porto Alegre vai premiar estudante de escola pública que enviar a melhor música
Debutantes do baile alusivo aos 250 anos da Capital começam a escolher vestidos
Gaúchas conseguem viajar e ganham mundial de Jiu-Jitsu   

Mesmo com a pouca idade, a jovem de 15 anos possui uma vasta lista de referências, que vão desde Michael Jackson a Beatles, passando por Natiruts e Los Hermanos. A banda carioca faz parte, inclusive, de uma memória marcante dela.

– Eu gostava de escutar Lágrimas Sofridas na infância, enquanto brincava. Lembro de ter um repertório retrô por conta do meu pai. O interesse por música vem desde muito pequena, quando eu ainda nem sabia falar e andar. Aquilo me deixava feliz – comenta.

O DNA artístico fez com que Laura procurasse aulas para aperfeiçoar as técnicas vocais, em 2018. Foi quando encontrou o Estúdio Musique, onde começou a correr atrás de um desejo em particular, o de participar do The Voice Kids, programa da Globo que reúne talentos infantis. A dedicação pelo estudo não só agregou novos conhecimentos, mas também chamou a atenção do professor, que incentivou a inscrição no Amplifica POA.

–  Quando veio a oportunidade, eu pensei: não tenho uma música autoral, mas bora tentar. Baixei a cabeça e pensei em uma letra – lembra.

Inspiração

Bastaram três dias para que surgisse Foi Mentira, uma canção cheia de sentimentalismo que trata sobre término de relacionamento. Enviado ao concurso, o vídeo da então candidata foi selecionado por uma equipe criteriosa levando em conta originalidade, qualidade musical, entre outros atributos.

– Gostamos bastante da voz da Laura. Apesar de nova, era justamente esse o nosso ímpeto, pegar uma pessoa jovem e instrumentalizar. Foi uma surpresa pra gente. Ela é muito comunicativa, desenvolta, madura pra idade. Ela se entregou, agarrou essa chance com as duas mãos. Isso é extremamente importante na trajetória de artistas que estão começando, não ter medo – afirma o sócio da Lado C Rafa Braz.

O lançamento de Foi Mentira está marcado para a próxima quinta-feira nas plataformas de streaming. A finalização do trabalho, no entanto, não deve ser o último passo na carreira de Laura, que já prevê um caminho longo pela frente:

– Quero compor mais e ir construindo uma carreira aos poucos. Gosto de pensar positivo, sem nunca desistir. Continuarei estudando bastante para, quem sabe, depois dos 18 anos, eu poder me inscrever no The Voice adulto.

Desafios da pré-produção

O processo de pré-produção aconteceu por meio de reuniões virtuais com os produtores Marcelo Fruet e Daniel Roitman, os responsáveis pela E12 Records. Nos encontros, a dupla prestou consultorias artísticas e foram trabalhadas questões de composição e arranjo. Em paralelo, ocorreu uma mentoria de comunicação, ministrada por Rafa Braz, para abordar social media, marketing digital e assessoria de imprensa.

Já a produção do single contou com um encontro presencial – seguindo protocolos de prevenção à covid-19 – em estúdio, para a gravação da voz. Depois, começaram as etapas de mixagem e masterização.

– Na consultoria de pré-produção, ela (Laura) foi super aberta a tudo que eu apontava e sugeria, sem grilos, e dava pra ver que estava bem comprometida com a atividade. Em nenhum momento virou a cara para esses papos “adultos” sobre carreira, linguagem, público. A Laura tem um timbre muito interessante e é bem afinada, raro pra alguém na idade dela. Afinação até se encontra bastante, pois é algo de exercício e treino, mas o timbre não. Isso você tem ou não tem – destaca Fruet.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros