Moradora de Balneário Pinhal faz do artesanato fonte de renda e projeto social  - Notícias

Versão mobile

 
 

Brique do DG09/12/2021 | 10h44Atualizada em 09/12/2021 | 10h44

Moradora de Balneário Pinhal faz do artesanato fonte de renda e projeto social 

Há 19 anos, em reportagem do Diário, Cleonice ensinou os leitores a confeccionarem bonecas de pano

Moradora de Balneário Pinhal faz do artesanato fonte de renda e projeto social  Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Cleonice trabalha com artesanato desde os 12 anos Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Há 19 anos, a moradora de Balneário Pinhal, no Litoral Norte, Cleonice Rosa Fagundes dos Santos, 65 anos, estampava uma das contracapas do Diário Gaúcho. Na época, ela divulgava um curso em que iria ensinar mães a fazerem bonecas para presentar suas filhas no Dia das Crianças. Quase duas décadas depois, a aposentada segue enxergando no artesanato uma fonte de renda para si e um caminho para outras mulheres desenvolverem a autonomia financeira. 

Em 2002, quando a primeira reportagem foi publicada, Cleonice trabalhava na Brigada Militar (BM), onde atuou por 36 anos como agente administrativa. Paralelamente, ela sempre entendeu o artesanato como uma de suas profissões. Na BM, por um tempo, ministrou oficinas para detentas de uma penitenciária. Depois, decidiu oferecer a formação para mulheres de sua comunidade.  

LEIA MAIS
Natal: iniciativas sociais buscam apoio para promover eventos em comunidades 
Tramandaí: comunidade pede guarita em Balneário Tiarajú
Feiras livres: autônomos investem no coletivo para driblar a crise

Brinquedos

Sua ideia, naquele momento, era focada em dar a chance de as crianças daquelas regiões ganharem presentes de Dia das Crianças. Sua lógica foi a seguinte: ao perceber que muitas não ganhariam presentes, por suas famílias estarem passando por dificuldades financeiras, ela ensinaria às mães das crianças como confeccionar bonecos de pano, que seriam os presentes para os pequenos. A ação deu tão certo que se estendeu para além do 12 de Outubro, indo até o Natal. Na época, ela procurou o DG para falar de sua ação, e a oficina foi divulgada no jornal, atraindo muitas mulheres a participar. E, consequentemente, diversas crianças foram presenteadas com os brinquedos.  

Poucos anos depois, em 2005, Cleonice se aposentou da BM e, assim, o artesanato se tornou sua principal atividade financeira. Antes, morava em Canoas, mas hoje, em Balneário Pinhal, construiu um ateliê para confeccionar seus produtos e ministrar cursos para moradoras de sua comunidade. 

– Trabalho noite e dia com artesanato. É uma alegria usar esse dom que Deus me deu – comenta, pontuando a importância da atividade para sua rotina. 

Voluntariado 

Em seu ateliê, a artesã ensina às participantes das oficinas diversas técnicas, que vão desde confecção de bonecas e roupas para bebês até pintura em tecidos e fabricação de chaveiros. Outra característica do projeto desenvolvido por Cleonice, que começou na ação de 2002 e se mantém até hoje, é o trabalho social. Parte da produção desenvolvida nos cursos fica em seu ateliê para ser doada a crianças da comunidade. 

– Há muitas mulheres em situação de vulnerabilidade. E eu, que trabalho nessas instituições de caridade, que atuo numa casa onde a gente presta serviços de artesanato, vejo que a pobreza é muito grande – fala a aposentada

Autonomia

Cleonice explica que sempre buscou ensinar para outras pessoas a atividade por entender que o artesanato está entre as principais possiblidades de se encontrar a independência financeira. 

Entre as mulheres que passaram por seu ateliê, algumas já abriram seus próprios negócios. Porém, durante a pandemia, teve de reduzir o número de pessoas em suas oficinas, como medida de segurança sanitária. Ainda assim, buscou atender algumas mulheres. Com a retomada gradual do comércio, ela se mostra otimista em voltar a oferecer mais vagas para interessadas em aprender o ofício.

Confira o projeto
/// O público principal das formações oferecidas por Cleonice são mães e mulheres em situação de vulnerabilidade social.  
/// Em seus cursos, ensina crochê, confecção de roupas para bebês e de bonecas, pintura em panos, dentre outras produções. Todas as formações ministradas pela artesã em Balneário Pinhal são contínuas e gratuitas.  
/// Para saber como participar, entre em contato com ela pelo WhatsApp (51) 98648-4056.

Mais um curso gratuito para produzir enfeites

Se você não mora perto de Cleonice, mas ficou com vontade de aprender um pouco mais sobre o artesanato, há uma oportunidade gratuita e acessível a moradores de qualquer região, uma vez que as aulas são online. Mas apresse-se: encerram-se hoje as inscrições para a formação oferecida pelo Sesc que ensina a produzir peças natalinas. 

Com a chegada das festas de final de ano, as decorações começam a aparecer nas casas, e o artesanato permite a confecção de diferentes peças que fazem parte dos clássicos enfeites de Natal. Aprender a produzir estes objetos pode gerar renda, mesmo a menos de um mês da data. 

Em 14 aulas virtuais, o curso oferece orientações sobre macramê, uma técnica de tecelagem manual que utiliza nós para criar suas produções. Com ela, é possível fazer guirlandas, pinheiros, bolas decorativas, flocos de neve, anjos, sinos e bengalas.  

A formação teve início em 25 de outubro, e o último encontro síncrono ocorre hoje, das 14h às 16h. Porém, como as oficinas são gravadas, todas as pessoas que se inscreverem até hoje terão acesso às aulas, que foram realizadas na plataforma de reuniões Zoom. Não é preciso ter conhecimento prévio sobre a técnica para participar das oficinas. 

Participe
/// No site sesc-rs.com.br/acaosocial/envolvase, há o detalhamento de cada uma das aulas já realizadas.
/// Para ter acesso à formação, entre na aba “cursos” e você será direcionado para o formulário de inscrição.

Produção: Émerson Santos


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros