Programa focado em reduzir filas oferecerá 72 mil cirurgias a mais em 12 meses no RS - Notícias

Versão mobile

 
 

No SUS24/05/2022 | 22h31Atualizada em 24/05/2022 | 22h31

Programa focado em reduzir filas oferecerá 72 mil cirurgias a mais em 12 meses no RS

O investimento será de R$ 85 milhões pelo governo do Estado; outros R$ 28,1 milhões serão pagos pelos municípios; confira as especialidades contempladas

Programa focado em reduzir filas oferecerá 72 mil cirurgias a mais em 12 meses no RS LIGHTFIELD STUDIOS / stock.adobe.com/stock.adobe.com
Programa Cirurgia+ pretende diminuir fila de espera Foto: LIGHTFIELD STUDIOS / stock.adobe.com / stock.adobe.com

O Governo do RS lançou nesta terça-feira (24) um programa que pretende diminuir a fila por cirurgias, consultas, exames e procedimentos eletivos no Estado. O Cirurgia+ conta com investimento dos executivos estadual e municipais.

Segundo o governo, a iniciativa busca ampliar o acesso e reduzir as filas de espera entre a população para procedimentos eletivos nas especialidades de cirurgia geral, vascular, traumato-ortopedia, otorrinolaringologia, ginecologia, oftalmologia e urologia.

Haverá um aumento na oferta à população de 72.090 mil cirurgias e 94.218 consultas especializadas em 12 meses, que serão realizadas em 71 hospitais que já integram a rede de atendimento aos usuários do SUS.

O investimento será de R$ 85 milhões pelo governo do Estado, através da Secretaria da Saúde, em consultas e cirurgias. Outros R$ 28,1 milhões serão investidos pelos municípios.

Leia mais
Família reclama de espera por internação em Canoas
Fila por atendimento via SUS em Porto Alegre tem um pequeno alívio, mas índices continuam elevados

Conforme a diretora do Departamento de Gestão da Atenção Especializada (Dgae), da Secretaria da Saúde, Lisiane Fagundes, o Cirurgia+ vem para atender a demanda represada devido à pandemia. As instituições que receberão a demanda terão que se organizar para, além do que já está contratado normalmente, fazer o que for contratado dentro do programa.

- Foram vários fatores que foram aumentando e represando essa fila. A estratégia é fazer uma ação focada nas especialidades de maior demanda e de maior tempo de espera, a gente entende que é uma ação importante para reduzir e desafogar a fila e fazer ela andar dentro da relativa normalidade - comenta ela.

No início de maio, o Governo do Estado anunciou investimento em ambulatórios de especialidades, que também contempla dois plantões presenciais, dois ambulatórios de egresso de UTI neonatal e serviço suplementar diferencial de maternidade completa, dentro do programa Assistir.

Cirurgias que deverão ser realizadas nos próximos 12 meses:

• Cirurgia geral: 15.918 cirurgias e 26.261 consultas
• Cirurgia vascular: 2.808 cirurgias e 3.213 consultas
• Ginecologia: 3.956 cirurgias e 9.587 consultas
• Oftalmologia: 36.455 cirurgias e 31.141 consultas
• Otorrinolaringologia: 959 cirurgias e 5.553 consultas
• Traumatologia: 6.550 cirurgias e 12.666 consultas
• Urologia: 5.444 cirurgias e 6.797 consultas 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros