"Galpão Crioulo" celebra aniversário de Porto Alegre no barco Cisne Branco - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Passeio no Guaíba24/03/2017 | 15h22Atualizada em 24/03/2017 | 15h58

"Galpão Crioulo" celebra aniversário de Porto Alegre no barco Cisne Branco

Neto Fagundes e Shana Müller comandaram a homenagem, que teve participações de nomes como Bebeto Alves, Antonio Villeroy e alguns dos gaúchos do The Voice Kids. 

"Galpão Crioulo" celebra aniversário de Porto Alegre no barco Cisne Branco Carlos Macedo/Agencia RBS
Cisne Branco é o palco, e a cidade, o cenário Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

"Porto Alegre é o pôr do sol, natureza, Deus bondoso que retrata no Guaíba, rio gaúcho majestoso". O trecho da canção de Teixeirinha, que leva o nome da capital gaúcha, define a festa antecipada que aconteceu na segunda-feira, durante a gravação do Galpão Crioulo (RBS TV, 7h), no Cisne Branco.

A homenagem aos 245 anos de Porto Alegre vai ao ar no programa deste domingo, bem no dia do aniversário da cidade. Uma celebração carregada de emoção — tanto pela relação dos convidados com a Capital quanto pelas paisagens registradas pelas câmeras, durante cerca de duas horas de passeio pelas águas do Guaíba.

Plateia convidada para a festa Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

O pôr do sol deslumbrante, um dos cartões-postais mais famosos da cidade aniversariante, foi o grand finale da festa em uma tarde especial que abriu os festejos. Neto Fagundes e Shana Müller comandaram a homenagem, que teve as participações de Nelson Coelho de Castro, Bebeto Alves, Antonio Villeroy, Gelson Oliveira, Cadica Grupo de Dança, Os Fagundes, Luis Arthur Seidel, Thomas Machado e Maria Alice Rosa da Silva.

Leia mais:
Magali Moraes e os 245 anos de Porto Alegre: sem motivo pra comemorar
"A Lei do Amor": mistério sobre Marina é revelado, e Mág terá fim trágico

Amor em forma de música 

Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Dividiram primeiro o palco Nelson Coelho de Castro, Bebeto Alves, Antonio Villeroy e Gelson Oliveira, que apresentaram canções do projeto Juntos. Povoado Das Águas, composta pelo quarteto em homenagem à Capital, e Pedra da Memória deram um tom leve à apresentação. Do quarteto, somente Gelson e Nelson nasceram em Porto Alegre.

Gelson morou por anos em Gramado e retornou à Capital no fim dos anos 1970. Bebeto é de Uruguaiana, e Antonio, de São Gabriel.

— É um privilégio passear em um cartão-postal — dizia Nelson.

Os de fora se sentem em casa

O uruguaianense Bebeto, entre uma música e outra, exaltou o verde da Capital:

— Os parques daqui me fascinam.

Antonio, que voltou a morar em Porto Alegre em 2013, depois de uma temporada no Rio de Janeiro, citou a vista aérea da aniversariante para contar uma história sobre a composição de Povoado Das Águas:

— Quando a gente chega em Porto Alegre de avião, vê muita água, é uma cidade cercada pelo rio. Lembro de que, na adolescência, antes de vir morar aqui, a gente passava por Porto Alegre para ir ao Litoral. E recordo que a gente via muita gente tomando banho de rio. É um desejo, sabe? Que, um dia, isto volte a acontecer. Gelson fez coro ao discurso de amor à cidade.

— Morei anos na Serra. É preciso viver o Interior para entender a Capital — afirmou, para emendar, em seguida:

— Morei em muitos bairros, brinquei na rua quando ainda era possível. Curti o Guaíba e os bondes.

Coração de mãe: sempre cabe mais um 

Shana e Neto: interioranos acolhidos pela Capital Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Uma curiosa coincidência une os dois apresentadores do Galpão, Shana Müller, 37 anos, e Neto Fagundes, 53. Ambos nasceram fora da Capital — Shana, em Montenegro, e Neto, no Alegrete. Mas eles vieram cedo para Capital e, hoje, tem filhos porto-alegrenses.

Shana, que curte os primeiros seis meses de Gonzalo, e Neto, pai de Marina e Matheus, cultivam a relação com a cidade que os adotou.

— Para nós, interioranos, Porto Alegre é, de certa forma, um grande Interior, que reúne gente de todos os lugares e, claro, aqueles que aqui nasceram. O que me chama a atenção em Porto Alegre é essa capacidade de, com o seu grande coração, receber a todos — afirma Shana.

Sonho realizado

Neto chegou em Porto Alegre em 1982, vindo do Alegrete.

— Eu já tinha vindo outras vezes para cá. E, cada vez que vinha, eu pensava: "Cara, eu quero morar nesse lugar. Eu não quero só visitar Porto Alegre, eu quero ser um pouco de Porto Alegre". Os tios Nico e Darcy (Fagundes, ambos já falecidos) já moravam aqui. Então, eu tinha quem visitar (risos) — conta.

Daí, para virar paixão definitiva, foi rápido. Em Porto Alegre, Neto conheceu a mãe de seus filhos, Cristina, e, ao elencar um lugar especial da capital gaúcha, não pensa duas vezes.

— Como morei na frente da Redenção, não tem como fugir dela. É muito especial — comenta.

Nos bastidores, selfies e gargalhadas

Com Thomas (E) e Luis, do "The Voice" Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

De apresentadora, Shana passou para o papel de cantora acompanhando Antonio e o violonista Augusto Brito na faixa Velas Para Todos os Santos. Uma das passagens engraçada da gravação, aliás, envolveu a estrela.

Para uma imagem aérea da gravação, a RBS TV disponibilizou um drone. Quanto Neto e os participantes se viraram para abanar em direção ao equipamento, em clima de celebração, Shana caiu na gargalhada por não saber onde estava o drone.

— "Genteee", todo mundo sabe onde ele está, menos a apresentadora (risos)! — falou, provocando um riso geral.

Na gravação, a participação do drone foi atração especial Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Entre uma apresentação e outra, a apresentadora, ativa nas redes sociais, aproveitava para tirar selfies.

Encontro de gerações 

Os pequenos não se mixaram diante dos tauras Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Um dos momentos mais esperados, tanto pelos protagonistas, quanto pelas canções, era a apresentação de Os Fagundes —Bagre, Ernesto, Neto e Paulinho — junto com três gaúchos do The Voice Kids Luis Arthur Seidel e Thomas Machado, que seguem na disputa, e Maria Alice Rosa da Silva, eliminada. Antes de cantar Origens e Canto Alegretense, não faltaram brincadeiras.

— Mas pediram para a Maria Alice, que é alta, ficar na frente do Ernesto, que é baixo. Tu "vai" tapar o rapaz! — divertia-se Bagre.

Logo que começaram a cantar, Luis Arthur mostrou personalidade, mesmo com tantos tauras ao seu lado, pedindo que a plateia levantasse e batesse palmas. Emocionado com o desempenho dos pequenos, Bagre lembrou do irmão:

— O Nico, sempre que observava jovens talentos cantando, dizia que era uma alegria indescritível ver a cultura gaúcha se propagando.

Para sempre Porto Alegre

Ernesto, que veio para Capital em 1985 e até recebeu título de Cidadão de Porto Alegre, lembrou de uma das mais belas canções de homenagem à cidade: Paixão à Primeira Vista, escrita ao lado do tio Nico:

— Uma dos trechos define muito bem o que sinto: "cidade onde eu não nasci, mas que pra sempre quero viver.

Encheram a bola 

Luis, Thomas e Maria Alice: performance de gente grande Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Natural de Santa Maria e morador de Guaíba, Luis Arthur Seidel estava que era só sorrisos por participar do Galpão em homenagem a Porto Alegre. Frequentador assíduo da Capital, onde estuda música, tem aulas de fonoaudiologia e primos, ele adota discurso de gente grande ao falar sobre a cidade.

— Guaíba é quase irmã de Porto Alegre. Gosto demais! Tem muitas coisas históricas. E o que me encanta é a juventude da cidade. Por mais tempo que passe, é libertária. Na rua, tu "vê" pessoas de todos os jeitos. Isso deixa a cidade harmônica — afirma.

Olhar renovado

Thomas Machado, de Estância Velha, tem como ícone um dos maiores símbolos da Capital: a estátua do Laçador.

— Eu sempre achei o máximo. Ah, e o aeroporto! Quando eu era pequeno, a gente vinha aqui olhar os pousos e decolagens dos aviões. E eu pensava: "Bah, um dia, a gente vai ter que andar em um desses". E, aí, veio o The Voice Kids para realizar esse sonho — comemora.

Já Maria Alice, que mora em Santana do Livramento, admira o aspecto cultural da cidade:

— Gosto bastante dos teatros, existem vários. É diferente para mim, que moro em Livramento.

Outra tradição da Capital, o show de dança da Cadica Danças e Ritmos também esteve presente na gravação Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS
Um dos nomes mais lembrados durante a gravação foi a de Nico Fagundes, que morreu em 2015. Por mais de três décadas, o tradicionalista apresentou o programa com a inesquecível saudação: "Até semana que vem, gaúchos e gaúchas, de todas as querências" Foto: Genaro Joner / Agencia RBS

Leia outras notícias de entretenimento no Diário Gaúcho

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros