VÍDEO: Família, boas letras e batalha pelo sucesso: conheça MC Gold - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Estrelas da Periferia28/03/2017 | 07h00Atualizada em 28/03/2017 | 16h25

VÍDEO: Família, boas letras e batalha pelo sucesso: conheça MC Gold

Funkeiro, morador do Bairro Vila Nova, Zona Sul de Porto Alegre, aposta em canções leves, conscientes para alcançar o estrelato. Uma das faixas foi feita para sua mãe. 

VÍDEO: Família, boas letras e batalha pelo sucesso: conheça MC Gold Tadeu Vilani/Agencia RBS
Tem até funk de homenagem à mãe Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Aos 22 anos, Maicon Souza da Silveira, o MC Gold, enfrenta as dificuldades normais de quem tenta o sucesso em um gênero tão competitivo e no qual novos nomes surgem todos os dias como é o funk. Morador do Bairro Vila Nova, Zona Sul de Porto Alegre, Gold começou a cantar há cerca de sete anos, sob olhares desconfiados dos pais.

— Foi bem difícil, no começo. Eles achavam que a música era besteira, coisa de maloqueiro. Mas, hoje, apoiam bastante — afirma Gold.

Muito do apoio dos pais, ele afirma, veio do fato de o artista investir em um funk diferente, com letras leves, que tragam boas mensagens. Uma das principais, aliás, a faixa Mãe, Preciso Te Dizer, é uma homenagem para a sua, Silvéria Ferreira de Souza. Na música, ele fala da valorização que os filhos devem dar às mães.

— Quem dá carinho é pai e mãe. Eles passaram a me apoiar muito, pois viram que eu não escrevo letras por escrever. Todas as minhas músicas contam algo bacana ou falam de alguém, passam uma mensagem — explica.

Às vésperas de completar três anos, morte de MC Daleste tem investigação encerrada sem apontar culpados
MC Daleste falava sobre a polícia quando foi atingido, afirma irmão
Conheça o grupo gaúcho que trocou os proibidões do funk pelo rap consciente

Comparação

Hoje, em diversas apresentações, o gaúcho é comparado, pelo timbre de voz, a um dos ícones do funk nacional: MC Daleste, morto em 2013. Mesmo ressaltando que não faz o mesmo estilo de música do paulista, ele reconhece que a comparação acaba, muitas vezes, ajudando.

— Não tive a chance de ver nenhum show dele, mas era um grande músico. E me comentam seguido que nosso jeito de cantar, e de levar a música, é semelhante — afirma Gold, que, devido às dificuldades de viver somente de música, trabalha nas mais diversas áreas, desde cabeleireiro até fazendo pequenas obras. 

Para 2017, o plano do jovem músico é lançar seu primeiro clipe, sempre na filosofia de boas letras, sem apelação ou palavrões:– Faço músicas que podem ser ouvidas por todos os públicos, desde as crianças até os idosos. 

Pitaco de quem entende

MC Jean Paul fala sobre o som do funkeiro:

— MC Gold tem uma voz que, no funk, chamamos de "referencia" ou seja, tem um timbre único. Sugiro que, assim que possível, faça uma técnica vocal, para aprimorar esse timbre de ouro. Escreveu uma música que é uma declaração para sua mãe, e que serve para muitas mães desse mundão. Linda a letra, parabéns!

Aqui, o espaço é todo seu

Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas em MP3 ou clipe e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

Para falar com MC Gold, ligue para 99557-2567.

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros