Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre é alvo de assalto durante plantão - Polícia

Versão mobile

 

Violência na Saúde02/12/2018 | 19h55

 Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre é alvo de assalto durante plantão

Funcionários trabalhavam quando grupo de criminosos invadiu prédio visando caixas eletrônicos


Assalto à Secretaria Municipal de Segurança
Grupo armado invadiu prédio da Secretaria Municipal da Saúde durante plantão visando arrombar os caixas eletrônicosFoto: Lauro Alves / Zero Hora

A sede da Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre, entre as avenidas Loureiro da Silva e João Pessoa, foi assaltada no início da tarde deste sábado (1). Por volta das 12h30min, entre quatro e cinco homens armados invadiram o prédio e renderam um vigilante. No local, trabalhavam médicos e outros servidores da Central de Controle de Leitos, setor que funciona 24 horas também aos finais de semana.

Segundo relatos feitos pelas vítimas, o grupo recomendou aos funcionários que mantivessem a calma porque o alvo deles seriam os caixas eletrônicos no interior do prédio. Depois de alguns minutos tentando arrombar os caixas, os assaltantes teriam sido avisados de algo por rádio-comunicador e deixaram o prédio sem levar nada. Celulares dos funcionários foram recolhidos durante a ação, mas não foram levados.

Leia mais
Atiradores assassinam paciente dentro de hospital em São Leopoldo
"Eu não identifico falha", diz comandante da BM em São Leopoldo sobre segurança em hospital
Ladrões atacam seguranças em hospital, trocam tiros e deixam três feridos em Porto Alegre

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Erno Harzheim, as equipes de plantão foram substituídas e a central segue em atividade. O secretário manifestou solidariedade às vítimas e declarou que a secretaria dará todo o amparo para que se recuperem do trauma. A coordenadora da Central de Controle de Leitos, Denise Soltof, compareceu ao local após o ocorrido.

Após o 9ª Batalhão da Polícia Militar atender à ocorrência, a Guarda Municipal toma conta do prédio. As polícias Civil e Federal também estiveram no local. De acordo com o secretário Harzheim, a primeira providência  da prefeitura será providenciar a retirada dos caixas eletrônicos da sede da secretaria.

Em nota, o Sindicato Médico do RS (Simers) manifestou preocupação com casos de violência na saúde no Estado. Segundo o sindicato, são 15 registros em 2018, nove deles na Capital, e mais de 100 desde 2014. 

"É preciso adotar medidas que barrem os criminosos e garantam normalidade para que as pessoas responsáveis por levar saúde possam fazer seu trabalho sem correr riscos", diz o texto assinado pela presidente em exercício do Simers, Maria Rita de Assis Brasil.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros