Pastor que desejou morte de Paulo Gustavo envia pedido de desculpas: "Tentei defender a honra de meu Deus" - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Após repercussão20/04/2021 | 09h10Atualizada em 20/04/2021 | 09h10

Pastor que desejou morte de Paulo Gustavo envia pedido de desculpas: "Tentei defender a honra de meu Deus"

José Olímpio da Silva Filho também afirmou que colocou à disposição suas funções na direção da Assembleia de Deus alagoana

Pastor que desejou morte de Paulo Gustavo envia pedido de desculpas: "Tentei defender a honra de meu Deus" Kiko Cabral / Divulgação/Divulgação
Segundo o último boletim médico, Paulo Gustavo apresentou melhora, mas seu quadro continua grave Foto: Kiko Cabral / Divulgação / Divulgação
GZH
GZH

O pastor José Olímpio da Silva Filho, da Igreja Assembleia de Deus de Alagoas, pediu desculpas ao ator e humorista Paulo Gustavo após desejar publicamente a morte do artista, que está internado em estado grave com covid-19. “Peço desculpa, pois nunca foi intenção do meu coração ferir, ofender ou machucar a nenhum dos ofendidos (que são aos milhares), a começar do ator Paulo Gustavo, que foi atingindo diretamente, passando por seus familiares, amigos, admiradores e muitos fãs, pois o mesmo é uma pessoa querida no mundo artístico”, escreveu em carta destinada ao comediante. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Na última quinta-feira (15), o líder religioso da Igreja Assembleia de Deus publicou em sua conta no Instagram uma foto de Paulo Gustavo caracterizado para um personagem e escreveu a seguinte legenda: “Esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo orações e reza. E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”. 

Após a manifestação, mais de 30 entidades ligadas ao movimento LGBTQIA+ saíram em defesa de Paulo Gustavo, que é casado com o dermatologista Thales Bretas, com quem tem dois filhos. As organizações estudam meios legais de processar o religioso pelo crime de homofobia.

Diante da reação, José Olímpio deletou suas contas nas redes sociais e justificou, em seu pedido de desculpas, estar tentando defender a honra de Deus. "A minha insensatez foi tentar defender a honra de meu Deus, muitas vezes ultrajada de muitos modos e de muitas maneiras e por muitas pessoas, esquecendo-me eu, de que Deus, o Criador do céu e da terra, não precisa de quem defenda a sua honra", justificou. 

"Quão tolo eu fui! Por ter escrito a sandice que escrevi, mesmo sem no meu íntimo desejar a morte de ninguém, pois apesar de minhas fraquezas, sou um cristão convicto", continuou o pastor. Ao fim da nota, o religioso informou ter colocado à disposição suas funções na direção da Assembleia de Deus alagoana: "evidenciando o reconhecimento do meu erro".

Paulo Gustavo está internado desde o dia 13 de março em um hospital na zona sul do Rio de Janeiro, devido a complicações causadas pela covid-19. O estado de saúde do comediante é extremamente delicado, com necessidade de ventilação mecânica e ECMO (oxigenação por membrana extracorpórea). Segundo o último boletim médico divulgado, o ator teve hemorragias controladas e apresentou melhora, mas o quadro clínico permanece grave e ele segue internado na UTI.

Confira a carta enviada pelo pastor:

Mediante esta, quero apresentar-me ao publico com uma nota dupla: primeiro, para pedir desculpas, pois o pedido de desculpa deve ocorrer quando se cometer um ato falho sem a intenção de ofender ao atingido.

Por isto, em primeiro lugar peço desculpas, pois, quem me conhece, sabe que do meu intimo jamais eu ofenderia propositalmente alguém, estou dessa idade e por aonde passei foi construindo amigos e servindo a quem precisa com o que estar ao meu alcance.

Para saber quem é a pessoa deve-se buscar a começar na família, na vizinhança onde se criou e viveu e na igreja onde é membro. Se forem procurar falhas e imperfeições em mim, vão encontrar muitas, mas, malignas intenções, creio que não encontrarão.

Considerando esse preâmbulo peço DESCULPA, pois nunca foi intenção do meu coração ferir, ofender ou machucar a nenhum dos ofendidos (que são aos milhares), a começar do ator Paulo Gustavo, que foi atingindo diretamente, passando por seus familiares, amigos, admiradores e muitos fãs, pois o mesmo é uma pessoa querida no mundo artístico.

A minha insensatez foi tentar defender a honra de meu Deus, muitas vezes ultrajada de muitos modos e de muitas maneiras e por muitas pessoas, esquecendo-me eu, de que Deus, o Criador do céu e da terra não precisa de quem defenda a sua honra. Quão tolo eu fui! Por ter escrito a sandice que escrevi, mesmo sem no meu intimo desejar a morte de ninguém, pois apesar de minhas fraquezas, sou um cristão convicto.

Peço mil vezes a todos: DESCULPAS, DESCULPAS, DESCULPAS. Mas, mesmo sem ter cometido no meu intimo o pecado de desejar verdadeiramente a morte de ninguém, eu também, quero pedir PERDÃO.

Perdão aos familiares, amigos, admiradores e fãs, porque os feri e principalmente ao ator Paulo Gustavo.

Perdão a minha mãe, irmãos, cunhados, a minha esposa e aos meus três filhos, um jovem e gêmeos adolescentes, por coloca-los em uma situação tão vexatória.

Perdão a memoria de meu pai, que me ensinou a ser um cidadão de bem. Perdão aos meus amigos que ao longo dos anos têm posto tanta fé em mim.

Perdão a minha Igreja na qual nasci e me criei, que desde a minha infância, na Escola Dominical, tem me ensinado o caminho reto.

Perdão aos pastores de todo o Brasil, que Deus me deu a graça de conhecer, ama-los e ser por eles amado.

Perdão aos meus companheiros da briosa COMADAL, por ter-lhes causado este desconforto.

Perdão as mui dignas Mesas Diretoras da IGREJA e da COMADAL, que me deram um voto de confiança, consagrando-me ao Ministério.

Perdão ao meu pastor presidente, que sempre me ensinou e ensina a todos os obreiros a não perder tempo nas redes sociais e nem exporem-se nas mesmas. Se tivesse dado ouvidos aos seus ensinamentos, não teria caído nessa situação.

Por fim e principalmente, quero pedir PERDÃO ao meu Deus, pois por minha causa o seu nome está sendo blasfemado entre os gentios (Rom 2:24), sem que Ele, nem sua Palavra, nem sua Igreja tenham culpa alguma.

Evidenciando o reconhecimento do meu erro, junto a esta nota, dou a conhecer a quem possa interessar, que voluntariamente pus minhas funções à disposição da Mesa Diretora da Convenção dos Ministros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Estado de Alagoas - COMADAL e estou solicitando ao Conselho Consultivo e de Ética da mesma, através de documento protocolado na secretaria, a analise do caso em apreço, ponho-me a disposição do mesmo para que me seja aplicada as penas previstas nas normas estatutárias e regimentais de minha Convenção Estadual, de acordo com o que este douto Conselho julgar. Termino rogando as orações por mim e por minha família.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros