Rock autoral no Morro da Cruz: conheça a banda Fermo - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Estrelas da Periferia13/04/2021 | 10h40Atualizada em 13/04/2021 | 10h40

Rock autoral no Morro da Cruz: conheça a banda Fermo

Banda destoa das tendências da comunidade, conhecida por revelar pagodeiros e funkeiros, e investe em um rock pesado. 

Rock autoral no Morro da Cruz: conheça a banda Fermo Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Banda voltou à ativa em 2020 Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Em um local no qual proliferam bandas de pagodes e funkeiros, o Morro da Polícia, na Zona Leste da Capital, alguns amigos decidiram ir contra essa espécie de senso comum e fundar uma banda de rock. Criada em 2009, a Fermo investiu, desde seu começo, em um rock pesado, gênero raro na sua comunidade. Com pilares de influência como as bandas norte-americanas Bring me the Horizon, Asking Alexandria e Suicide Silence, a Fermo ganhou, rapidamente, destaque no cenário local e até nacional. Entre 2010 e 2014, lançaram dois álbuns, dois EPs e diversas canções e chegaram a atingir mais de um milhão de visualizações no canal do YouTube, algo raro para bandas que estão em começo de carreira.

- Somos umas das poucas bandas de rock pesado gerada dentro da nossa comunidade e ainda conseguimos viajar para todo o país, fazendo shows. Naquele período, fizemos turnês pelo Rio de Janeiro, por São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Porém, paramos em 2014 _ lembra Roger, baterista e vocalista da banda. 

Leia outras histórias de Estrelas da Periferia

A volta

Seis anos depois, em novembro de 2020, "por acaso", os integrantes começaram a perceber que tinham bons motivos para voltar. 

- Encontrei o Lucas (vocalista da banda), no Centro de Porto Alegre, por acaso. O Everton (baixista) também estava lá e fez uma foto desse encontro. Conversamos e, de brincadeira, resolvemos postar a foto no Facebook da banda, fazendo uma brincadeira do tipo: "A Fermo voltou". E deu muito retorno, uma galera compartilhando, vimos que tínhamos que voltar. Durante a pandemia, revemos alguns conceitos, sobre a nossa amizade que estava meio distante e sentimos que a nossa história não deveria ter acabado - afirma Roger.

Agora, a banda volta para recuperar o tempo perdido e já larga com força. Neste ano, já lançaram uma canção inédita, Do Inferno e preparam outra, para maio. Além disso, preparam um disco especial da banda, comemorativo aos 10 anos da Fermo, que seria lançado em 2019, mas, como a banda estava separada, deve ser lançado neste ano.

- Regravaremos algumas músicas antigas com uma roupagem nova, com o lucas cantando, já que, nas versões antigas, ele não era o vocalista principal. Aliás, essa é uma das diferenças da banda: sou baterista e canto, seguido a gente ouvia a pergunta: "Bah, cadê o vocalista". Quando via, era eu que estava cantando, meio fora dos padrões. E outro diferencial que enxergo que é temos um DJ na banda, então, misturamos muito rock com batidas eletrônicas - relembra Magrão.

Além dos lançamentos, o sonho dos roqueiros é conseguir, novamente, emplacar turnês fora do Rio Grande do Sul.

- Tivemos um retorno muito bom, naquela época _ lembra Magrão. 

Ainda integram a banda Julio (guitarra) e Felipe (DJ). 

Pitaco

Vanessa, da dupla com Claus, fala sobre o som da banda.

- Rock com muita maturidade e pressão, timbre e sonoridade gringas. Pegada de peso que falta no rock nacional. 

Aqui, o espaço é todo seu

-Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

 Para falar com a banda, ligue para 99347-0634.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros