Lelê Bortholacci: o teste mais difícil do Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Colorada16/06/2021 | 08h00Atualizada em 16/06/2021 | 08h00

Lelê Bortholacci: o teste mais difícil do Inter

Colorado enfrenta o Atlético-MG, nesta quarta-feira, pelo Brasileirão

Lelê Bortholacci: o teste mais difícil do Inter Twitter/@SCInternacional / Reprodução/Reprodução
Na última rodada, Colorado venceu o Bahia por 1 a 0 em Salvador Foto: Twitter/@SCInternacional / Reprodução / Reprodução
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Repetindo quase todo o time que venceu o Bahia — algo raro nos tempos de Miguel Ángel Ramírez — o Inter encara seu teste mais difícil até agora no Brasileirão. O Galo é um dos favoritos ao título, traz duas das principais contratações do futebol brasileiro na temporada  — Nacho Fernandez e Hulk — e certamente não vem a Porto Alegre pensando em empatar.

Jogo dificílimo, mas daqueles que pode — em caso de vitória — dar a tão procurada confiança para um grupo ainda instável e sem treinador efetivado.

 A liga dos clubes e sua real funcionalidade

A iniciativa dos clubes da Série A em assumir o controle do Brasileirão, criando uma liga independente da CBF é ótima, pelo menos, na teoria. Mas eu quero ver mesmo, é na prática. Essa unidade de pensamento dos clubes contra um alvo específico — no caso, a CBF — é linda. 

Leia mais
Inter define time para enfrentar o Atlético-MG
Inter confirma três casos de covid-19 no elenco
Inter x Atlético-MG: horário, como assistir e tudo sobre o jogo da quarta rodada do Brasileirão

Mas e quando cada um quiser defender o seu? Já vimos recentemente na questão dos direitos de transmissão do Brasileirão com as TVs fechadas, onde cada clube negociou da sua maneira, o que resultou numa grande confusão que faz o principal consumidor do produto futebol, que é o torcedor, ter que se informar, a cada rodada, onde ver o jogo do seu time.

Esse é apenas um exemplo. Sabemos que dirigentes são seres humanos, querem defender os interesses de seus clubes e, invariavelmente, atuam sob diversas influências externas. Acomodar todo este contexto numa liga que trabalharia por um futebol brasileiro melhor, não será fácil. Mas vou torcer para que dê certo. Já deixo até uma dica: acabem com o cansativo campeonato por pontos corridos.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros