Padrasto suspeito de matar jovem em Porto Alegre foi preso após ser resgatado do Guaíba - Polícia

Versão mobile

 
 

 Região Metropolitana13/04/2021 | 07h00Atualizada em 13/04/2021 | 07h00

 Padrasto suspeito de matar jovem em Porto Alegre foi preso após ser resgatado do Guaíba

Homem foi encontrado em Eldorado do Sul pela Brigada Militar e foi encaminhado para atendimento no HPS

 Padrasto suspeito de matar jovem em Porto Alegre foi preso após ser resgatado do Guaíba Polícia Civil / Reprodução/Reprodução
Padrasto foi encontrado em Eldorado do Sul Foto: Polícia Civil / Reprodução / Reprodução

O homem suspeito da morte de Gabrielle França, 18 anos, na madrugada desta segunda-feira (12), no bairro Agronomia, zona leste de Porto Alegre, foi localizado no final da manhã. Niel Mateus da Rosa Alves, 42 anos, padrasto da vítima, foi visto por policiais do Comando Ambiental da Brigada Militar no momento em que se atirou de uma ponte no Guaíba, em Eldorado do Sul. Ele foi socorrido e encaminhado para o Hospital de Pronto Socorro (HPS) na Capital.  Na queda, ele fraturou uma das vértebras. 

Inicialmente, o padrasto da vítima deu um nome falso, mas os PMs confirmaram que ele estava mentindo porque não estavam conseguindo confirmar no sistema integrado de segurança. No final desta manhã, o homem pediu para falar com uma irmã e ela confirmou o nome verdadeiro dele. Os PMs acionaram a Polícia Civil. Apesar da investigação já ter solicitado prisão preventiva à Justiça, a detenção ainda foi considerada flagrante. 

De acordo com a delegada Jeiselaure de Souza, da Delagacia da Mulher de Porto Alegre e que investiga o caso, áudios enviados por ele para familiares alegando vingança devido ao fim do relacionamento de 16 anos que tinha com a mãe da jovem são as principais provas do feminicídio

Leia mais
Jovem de 18 anos é morta dentro de casa; padrasto fugiu após o crime
Polícia investiga se mulher morta a pedradas foi vítima de feminicídio
Polícia apura se morte de mulher em Guaíba está ligada a relacionamento de 15 dias

A polícia já havia ouvido testemunhas e solicitado exames periciais do local do crime. Também está analisando imagens de câmeras de segurança da região no bairro Agronomia. 

— Estamos buscando todas as provas necessárias, assim que ele tiver condições, vamos ouvi-lo. Ele já estava recuperando a consciência, tanto é que mentiu o nome no momento da abordagem, dizendo que se chamava Marcos. Ele foi encontrado por policiais militares do Comando Ambiental, que usaram um barco para resgatá-lo da água. Mesmo tendo sido horas após o fato, a prisão é considerada em flagrante, e ele está custodiado por uma equipe nossa no HPS — diz Jeiselaure.

Áudios

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL,  12/04/2021- Uma jovem de 18 anos foi encontrada morta dentro de casa no bairro Agronomia, zona leste de Porto Alegre na manhã desta segunda-feira (12). O padrasto da vítima é o principal suspeito e ainda não foi localizado. Foto: Lauro Alves  / Agencia RBS<!-- NICAID(14755603) -->
Mãe da jovem precisou ser amparada por vizinhaFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

A delegada afirma que os áudios falam sobre ele ter cometido o crime por vingança. A gravação mais recente foi enviada ainda nesta manhã, logo após o crime, dizendo para cuidar de familiares e que a vida dele não teria "mais graça", que se vingou da companheira. Em outro áudio enviado dias atrás, ele cita que estava rondando a ex-mulher para tentar executá-la. 

Segundo a investigação, ele matou a enteada porque a companheira havia terminado o relacionamento. Alves tem três filhos com a ex-companheira e cuidou da enteada desde quando a jovem tinha dois anos. Como estavam separados há pouco mais de um mês, devido a agressões (há uma ocorrência registrada contra ele em 2019), a mãe de Gabrielle foi morar no bairro Mario Quintana, na zona norte da Capital

Alves tinha direito de conviver com os filhos e a enteada, mas nesta segunda-feira, apenas ela estava na residência dele, na zona leste.

 Para denunciar casos de violência contra a mulher, contate o Disque-Denúncia pelo telefone 181. Além disso, há os Centros de Referência da Mulher, delegacias especializadas e a Defensoria Pública. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros