Técnica de enfermagem é investigada por saque de R$ 1,1 mil em conta de idosa que buscava vacina contra covid-19 - Polícia

Versão mobile

 
 

Arroio do Tigre16/04/2021 | 07h00Atualizada em 16/04/2021 | 07h00

Técnica de enfermagem é investigada por saque de R$ 1,1 mil em conta de idosa que buscava vacina contra covid-19

Mulher de 36 anos foi identificada em imagens de câmeras de segurança de banco

A Polícia Civil investiga uma técnica de enfermagem de Arroio do Tigre, no Vale do Rio Pardo, que teria furtado o cartão de uma idosa de 83 anos e realizado saque de R$ 1,1 mil da conta bancária da vítima. O crime teria acontecido depois que a idosa foi buscar a vacina contra a covid-19.

O caso ocorreu no último dia 5. Policiais civis estavam no posto central da cidade se vacinando contra a doença quando perceberam que uma idosa procurava um cartão que tinha perdido — ela havia ido ao local mais cedo para receber a segunda dose, mas foi informada de que a data ainda não havia chegado. 

A equipe do posto informou que o cartão não estava no local, mas, tempos depois, a idosa percebeu que o valor da sua conta bancária, referente à aposentadoria, teria sido sacado. Assim, fez o registro da ocorrência. 

Leia mais
Prefeitura de Novo Hamburgo investiga denúncia de fura-filas da vacina contra covid
Polícia Civil lança aplicativo que mostra os 15 principais golpes e como se proteger

Conforme a delegada Graciela Foresti Chagas, a equipe de investigação teve acesso a imagens do banco que mostravam uma pessoa com equipamentos de proteção, o que indicaria que era uma trabalhadora da saúde, na agência. O horário era o mesmo em que uma das profissionais do posto tinha ido ao banco, conforme disse a colegas. Assim, ela passou a ser investigada. 

— Identificamos câmeras de todo o trajeto. Ela disse que ia para um banco e foi para outro. Pelas informações do banco e confirmação de testemunhas, conseguimos identificar que se tratava dela. Ela sacou e voltou ao posto para trabalhar — detalha a delegada. 

Na última terça-feira (13), a polícia cumpriu mandados de busca no posto de saúde e na casa da técnica de enfermagem, mas o cartão da idosa não foi encontrado. Conforme a delegada, a mulher confessou ter sacado o dinheiro e disse que já tinha usado o valor para pagar contas e fazer compras. Ela disse ainda que iria tentar fazer a devolução. Segundo a polícia, a mulher de 36 anos, que não teve o nome divulgado, não tinha antecedentes criminais.

— Entendo não haver elementos para prisão preventiva. Ela prestou depoimento, colaborou e, até agora, é um fato isolado. Ela responde em liberdade. Não vamos solicitar prisão — afirma a delegada. 

O inquérito ainda está em andamento e não foi finalizado. Conforme a polícia, outros casos de furtos foram registrados no posto em outros momentos. Agora, a investigação tenta comprovar se há relação. 

Procurada por GZH, a prefeitura de Arroio do Tigre afirmou, em nota, que o fato não retrata a realidade do funcionalismo e que a servidora pública foi afastada preventivamente durante apuração de processo administrativo disciplinar (veja texto abaixo).

Documentos para vacinação

A polícia acredita que a técnica de enfermagem tenha encontrado o cartão ou que a idosa tenha entregue o item junto com o cartão do SUS, sem querer. O saque do dinheiro só foi possível porque a idosa guardava a senha junto com o cartão. A prática não é recomendada pela polícia, já que dá acesso à conta bancária para quem encontrar os documentos.

Em nenhum local é necessário apresentar o cartão do banco para receber a vacina. A prefeitura de Arroio do Tigre solicita que os vacinados apresentem CPF, cartão de vacinação e cartão do SUS, que pode ser feito na Secretaria Municipal de Saúde.

Veja nota da prefeitura de Arroio do Tigre

"O fato ocorrido com a servidora pública não retrata a realidade do funcionalismo municipal, bem como a seriedade com que é conduzida a saúde pública de Arroio do Tigre. No entanto, a ação repercutiu de forma vultosa, cabendo à administração municipal, amparada nos princípios legais, tomar as devidas providências em âmbito administrativo.

Por se tratar de caso isolado, a servidora pública concursada há 14 anos, alocada em diversas unidades de saúde durante este período, foi afastada preventivamente durante apuração de processo administrativo disciplinar que visa constatar se a referida servidora se utilizou de sua posição enquanto técnica de enfermagem para assim ter acesso a itens pessoais de usuário da saúde.

No que tange a responsabilidade judicial da servidora, não cabe a este ente público discernir. Ademais, cumpre destacar que o município de Arroio do Tigre não é conivente com situações do gênero, tomando, imediatamente, medidas preventivas de vigilância interna nas suas dependências, primando pela segurança da população e dos próprios funcionários."

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros