Bebê de um ano e cinco meses tem alta de hospital mas precisa de doações de leite especial - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso09/09/2016 | 08h22Atualizada em 09/09/2016 | 08h22

Bebê de um ano e cinco meses tem alta de hospital mas precisa de doações de leite especial

A prefeitura de Alvorada não fornece o produto

Bebê de um ano e cinco meses tem alta de hospital mas precisa de doações de leite especial Leitor DG/Arquivo Pessoal
Foto: Leitor DG / Arquivo Pessoal

Desde que nasceu, Pedro Ebling dos Santos Dornelles, um ano e cinco meses, tem o hospital como moradia. Após 17 meses de angústia, ele e a mãe, Géssica Ebling dos Santos, 25 anos, foram liberados para voltar para casa. No entanto, a alta de Pedro, marcada para ontem, precisou ser adiada porque o leite que ele precisa tomar ainda não está disponível na Farmácia Municipal de Alvorada.

Segundo Géssica, o pedido do leite Neocate foi feito há um mês, quando soube que o menino precisaria trocar o alimento que recebia no hospital desde que nasceu. Na primeira vez, o pedido foi atendido com rapidez. No entanto, o prazo informado pela secretaria se esgotou. A mãe está preocupada, porque não tem dinheiro para comprar as latas, que custam cerca de R$ 160 cada.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

— Estive na farmácia terça-feira e me informaram que não havia solicitação de troca de leite, mas eu tenho o papel aqui com o pedido feito há mais de um mês. O Pedro está desde julho para sair do hospital e agora que está com alta acontece isso — lamenta.

Géssica conta que Pedro nasceu sem respirar normalmente e, por conta disso, utiliza aparelhos que o ajudam na respiração e na digestão.

Dificuldades

Ela diz que, desde então, o menino sempre tem repetidas e frequentes infecções respiratórias, por isso não havia conseguido sair do hospital. A exceção foi uma vez, quando chegou a passar 24 horas em casa, mas por conta de uma nova crise precisou retornar ao hospital. Mesmo depois de diversos exames, ainda não há diagnóstico exato sobre o problema de saúde do menino.

— Ele chegava a ter duas pneumonias por mês. Até hoje não sabemos o que ele realmente tem, pois nenhum exame dá 100% de certeza. Acreditam que seja um problema genético — conta a mãe.

No mês passado, Pedro realizou uma cirurgia para separar a laringe da traqueia a fim de diminuir a salivação e evitar que a secreção vá para o pulmão. Agora que o menino está pronto para ter alta, Géssica espera, ansiosa, para cuidar do filho no conforto do seu lar.

— É como se ele fosse recém-nascido e eu estivesse levando-o pela primeira vez para a casa. Aqui eu não posso cuidar como se ele fosse meu, pois tem sempre gente em volta. Estou muito ansiosa — diz a mãe.

Leia mais
Família precisa arrecadar R$ 6 mil para menino fazer exames no Exterior
Bebê de Alvorada precisa de consulta especializada para confirmar doença

Alvorada não fornece o produto

A prefeitura de Alvorada informou, por meio da assessoria de comunicação, que o leite Neocate não consta na lista dos alimentos especiais fornecidos pela farmácia municipal.

Informou também que a alternativa seria entrar com medida judicial para retirar o leite na Farmácia de Medicamentos Especiais do Estado.

Ontem, Géssica iria tentar trocar as latas do leite Pregomin, que Pedro tomava, por Neocate. Quem quiser ajudar o menino com doações pode entrar em contato com a mãe por telefone ou depositar na conta-poupança.

COMO AJUDAR

- Conta-poupança: 13034-9, agência 4056, Banco Itaú. Em nome de Ismael Dornelles (pai do Pedro).

- Contato: telefone (51) 9377-6186 Géssica (mãe).


 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • nbru_

    nbru_

    Bruna AlvesComprei o diário gaúcho só por causa do poster do grêmio 🇧🇼💙há 3 minutosRetweet
  • DANIELMATADOR9

    DANIELMATADOR9

    DANIEL MATADOR@RealDuva @diario_gaucho Desculpa.há 1 horaRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros