Idosa de Viamão com metade dos pulmões funcionando sofre com falta de medicamento - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso16/11/2016 | 08h58Atualizada em 16/11/2016 | 13h56

Idosa de Viamão com metade dos pulmões funcionando sofre com falta de medicamento

A Secretaria Estadual da Saúde informou que o remédio estará disponível ainda nesta quarta-feira

Idosa de Viamão com metade dos pulmões funcionando sofre com falta de medicamento Leitor DG/Arquivo Pessoal
Foto: Leitor DG / Arquivo Pessoal
Diário Gaúcho
Diário Gaúcho

Na sexta-feira passada, a pensionista Eloá Wolfat Victoria, 72 anos, não conseguia esconder a dificuldade para respirar e falar. Ela apresenta sintomas da falta do remédio Brometo de Tiotrópio 25mcg – do qual precisa para controlar a asma provocada por uma enfisema pulmonar e que está em falta há dois meses na Farmácia Pública do Estado.

Moradora de Viamão, ela tem apenas metade dos pulmões em funcionamento e três pontes de safena. Ela revela estar com medo de sofrer um infarto em consequência da falta de ar.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

— Qualquer ventinho, cheiro diferente ou fumaça forte me fazem ter muita falta de ar. Hoje (sexta-feira) é um dia que eu estou muito atacada — admite Eloá.

Saúde delicada

A medicação que a idosa utiliza há cerca de dez anos é, de acordo com a filha Itanajara Wolfat Victoria, 52 anos, a única que consegue manter a respiração estável e evitar que a saúde piore em função dos outros problemas. A alternativa é recorrer a nebulizações e utilizar outra medicação à base de corticoide, que implica em piora da sua diabetes.

— 0 médico disse que esse é um remédio fundamental para mantê-la viva, pois sua saúde é muito delicada. Sem o remédio, ela piora muito, pois uma doença influencia a outra — preocupa-se a filha.

Foto: Leitor DG / Arquivo Pessoal

Há cerca de quatro anos, a família conseguiu, por meio de processo judicial, o direito de receber as doses do Estado. Antes, Itanajara juntava dinheiro com a ajuda dos irmãos e da vizinha Sandra Guedes Cesar, 49 anos – considerada também uma filha para Eloá –, para comprar as doses, que custam em torno de R$ 400 e duram um mês.

Itanajara e Sandra são as responsáveis por buscar o remédio na Farmácia e dizem que é a primeira vez que a medicação fica mais de um mês indisponível.

Para evitar que a idosa precise ser internada, Sandra, que está desempregada, e Itanajara, que conseguiu um emprego há menos de um mês, pretendem fazer uma vaquinha com o restante da família para comprar o remédio.

Leia mais
Após cinco meses no depósito por falta de perícias, veículo é liberado para dono em Gravataí
Moradora de Canoas sofre com problema no útero e precisa de procedimento de saúde urgente

Medicamento disponível nesta quarta

A Secretaria Estadual de Saúde (Ses) informou que o medicamento é fornecido via processo judicial no qual o município de Viamão e o Estado são réus. Para atender ao pedido, a secretaria licitou a compra do remédio, que deve ser entregue ainda hoje. De acordo com a Ses, assim que as doses chegarem ao almoxarifado central, serão encaminhadas para as secretarias municipais "com maior brevidade".


 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • pfvrxx

    pfvrxx

    narina talvez marina@jugarciarp @falandocarioca @GauchoFalando @10Ronaldinho @diario_gaucho @JornaldoAlmoco_ @_OrgulhoGaucho @RdGaucha @Rafagaucho @vibeoutonohá 29 minutosRetweet
  • jugarciarp

    jugarciarp

    maio, junho, Júlia..@pfvrxx @falandocarioca @GauchoFalando @10Ronaldinho @diario_gaucho @JornaldoAlmoco_ @_OrgulhoGauchohá 31 minutosRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros