Idosos do Asilo Padre Cacique ensaiam para apresentação do Presépio Vivo - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Então é Natal08/12/2016 | 10h00Atualizada em 08/12/2016 | 10h00

Idosos do Asilo Padre Cacique ensaiam para apresentação do Presépio Vivo

Moradores e voluntários que atuam na instituição ensaiam espetáculo desde outubro. Apresentação será aberta ao público, na noite do dia 13 de dezembro

Idosos do Asilo Padre Cacique ensaiam para apresentação do Presépio Vivo Carlos Macedo/Agencia RBS
Pátio do asilo será cenário para o nascimento de Jesus Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Na noite da próxima terça-feira, dia 13 de dezembro, o pátio do Asilo Padre Cacique será, pela 21ª vez, o cenário para a representação da noite na qual nasceu o Menino Jesus. O Diário Gaúcho acompanhou um dos ensaios do espetáculo que já está emocionando quem acompanha o empenho dos "atores" — ao todo, o presépio vivo contará com a participação de cerca de 40 pessoas em cena, entre moradores do asilo e voluntários. A preparação começou dia 24 de outubro.

— Eu fico bem emocionada, choro. Adoro o Natal — comentou a moradora Yeda da Silva Costa, 92 anos.

Leia mais:
Terceira idade conectada: estar na internet aumenta independência de idosos
Às vésperas de completar cem anos, gêmeos da Capital contam o segredo da longevidade

Gestos e expressões são ensaiados duas vezes por semana Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Como o roteiro não prevê falas, a história é contada por um narrador, o que exige dos atores atenção com o gestual e maior capricho nas expressões faciais.

— O narrador diz que o anjo causa surpresa, então eles precisam fazer cara de espanto _ explica a recreacionista Cadine Piazera, que coordena os ensaios.

Leia outras notícias

De acordo com Cadine, assim como a quadrilha na festa junina, a encenação do Natal é esperada com ansiedade pelos idosos. Também pudera: as árvores são iluminadas por refletores, o pergolado é transformado em gruta, os personagens contam com figurino e até o Menino Jesus é representado por um bebê de verdade — nesta edição, pela filha de uma funcionária que nasceu recentemente.

Menino Jesus será uma criança de verdade, filha de uma funcionária Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

— Eles ficam bem compenetrados, focados. Nós acompanhamos a fala do narrador e fazemos sinais para eles — explica.

O Natal é uma data que emociona a todos e não é diferente entre os vovôs e vovós que vivem no asilo. Conforme a recreacionista, aqueles cujo vínculo familiar está rompido, ou não têm parentes encontram na apresentação de Natal uma oportunidade de serem vistos, na expectativa de encontrar alguém conhecido.

— Eles gostam bastante de participar. Hoje eles têm bastante atividades, então preenchemos o vazio. Mas claro que não substitui a família.

Maria é vivida por uma voluntária que atua há 17 anos na casa Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Eles adoram participar

Moradora do asilo há cinco anos, Vilma Jacinto Mazaren, 79 anos, coleciona papéis desempenhados no espetáculo — Maria e Isabel os de maior destaque — e neste ano faz parte do grupo de pastores que vai até a gruta adorar o Menino Jesus.

— Eu tenho sempre boa vontade em ajudar o nosso asilo. Aqui é a nossa casa, é um céu, e eu gosto muito de participar — revela a moradora, que também faz parte da roda de samba do Padre Cacique, tocando agogô.

Emoção em cena da noite de Natal Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Mesmo experiente na representação teatral, Vilma conta que continua sentindo um friozinho na barriga.

— Ver tudo iluminado, tomado de gente, emociona — destaca.

Outro ator que conhece bem as marcações da peça é Nadir Jardim, 71 anos. Há três anos, ele empresta o porte elegante para dar vida a um dos três reis magos, Baltazar, que ofereceu ouro ao recém-nascido. É ele quem acena para o céu, apontando a estrela de Belém que guiou o caminho até a manjedoura.

— Eu gosto de participar. Não tenho vergonha — disse.

Nadir vive um dos reis magos há três anos Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Já o papel de Maria coube à Loreni Agüero, 62 anos, voluntária há 17 anos, membro do conselho e regente do coral.

— A emoção será ainda maior porque teremos uma criança de verdade (no ensaio, ela carregava uma boneca) — concluiu Loreni.

No dia da apresentação, Loreni que será acompanhada por José, vivido por um morador do asilo. No ensaio, a moradora Avani Benites, 72 anos, que fará uma pastora, substituiu José.

Espetáculo contará com iluminação especial, figurinos e músicas natalinas Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Programe-se
/// A encenação será dia 13 de dezembro, a partir das 21h, aberta ao público, que poderá começar a chegar um pouco antes, pelas 20h.
/// O Asilo Padre Cacique fica na Avenida Padre Cacique, 1178, Menino Deus, na Capital.


 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros