Lanches saudáveis melhoram, além da saúde, o rendimento escolar de crianças e adolescentes - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Sala de Aula08/12/2016 | 08h18Atualizada em 08/12/2016 | 08h18

Lanches saudáveis melhoram, além da saúde, o rendimento escolar de crianças e adolescentes

Com a chegada do calor, o cuidado com os alimentos para as crianças deve ser redobrado

Lanches saudáveis melhoram, além da saúde, o rendimento escolar de crianças e adolescentes Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Priscilla e a filha Maria Eduarda  Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

O cuidado com o lanche que seu filho leva para a escola, ao longo de todo ano letivo, é essencial – principalmente quando o calor começa, pois alguns alimentos estragam mais rápido. De acordo com a nutricionista, mestre e doutora em saúde da criança e adolescente Caroline Ayres, quanto mais caseiro for o lanche, mais nutritivo será.

Água e fruta são indispensáveis e, segundo Caroline, devem estar sempre na lancheira. Quando se trata de crianças entre zero e seis anos, a creche ou escola deve incentivar os pequenos e os responsáveis a levarem itens saudáveis.

Leia outras notícias da seção Sala de Aula!

— Ideias simples mudam a percepção dos alunos e das famílias sobre a importância de uma boa alimentação. Levar um profissional de Nutrição para conversar com os estudantes, ou a própria professora criar um projeto criativo em sala de aula sobre o tema, são algumas opções — orienta Caroline.

Exemplo

Se tem uma coisa que criança pequena adora fazer é imitar. Por isso, o exemplo dos pais é importante. Caroline explica que a família deve conversar com a criança de um jeito que ela entenda sobre por que ela precisa ter uma boa alimentação:

— Não adianta dizer pra uma criança de quatro, cinco anos que ela não pode comer salgadinho, e comer um na frente dela.

Além disso, a nutricionista alerta:

— Durante a semana, nada de porcaria. Deixe os salgadinhos de festa, docinhos e sorvete para o final de semana. Se seu filho se queixar que os colegas comem, explique o quanto você se importa que ele seja mais forte.

Água e fruta são essenciais para o lanche escolar Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Ei, mãe, cresci!

Conforme Caroline, com os adolescentes, a conversa é diferente – mais madura. A sugestão para os estudantes mais velhos é fazer combinações.

— O ideal é os pais combinarem, por exemplo, que o adolescente está liberado para comprar um lanche no bar do colégio uma vez por semana. Nos demais dias, vai seguir o plano alimentar da família na hora do lanche — diz ela.

Comer bem não melhora apenas o aspecto físico ou evita doenças, mas também contribui para o desempenho escolar das crianças e adolescentes. Se alimentar de forma saudável auxilia na disposição para acordar cedo, ir pra aula, praticar algum esporte e também ajuda na concentração. E é justamente isso que deve ser usado como forma de incentivo para os não mais tão pequenos assim, segundo Caroline.

Leia mais
Reprovou na escola? Saiba como superar seus pontos fracos
Por que a leitura em família é tão importante para crianças e adultos

Mudança na rotina dos Oliveira

A estudante do quinto ano do ensino fundamental Maria Eduarda de Oliveira Bernardi, 11 anos, foi obrigada a mudar hábitos – inclusive alimentares – após tomar uma "bronca" da pediatra por estar com o colesterol alto. A mãe, a dona de casa Priscilla Fernandes de Oliveira, 32 anos, levou a menina numa nutricionista. Foi então que o comportamento mudou. De acordo com Priscilla, Maria Eduarda estuda de tarde e não gostava de levar lanche para a escola. Apesar de aceitar todo o tipo de alimento, comia nos horários errados e em grandes quantidades.

— Ela almoçava e não levava lanche. Aí, chegava em casa com muita fome e comia tudo o que via pela frente — conta a mãe.

Maria Eduarda e a mãe preparam o lanche juntas Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Há quatro meses, Maria Eduarda mudou radicalmente a maneira de enxergar e consumir comida. E não foi só isso: para ajudar, toda a família adotou a ideia e, como resultado, só encontrou benefício, diz a mãe:

— Ela se adaptou fácil ao projeto. Todo dia, leva água, uma fruta e mais algo de lanche. O mais difícil foi se acostumar a beber água com frequência. Se alimentar com lanches feitos em casa e frescos melhorou a autoestima da Maria Eduarda. Ela emagreceu, está mais disposta e, todo mês, quando vamos na nutri, ela fica mais empolgada.

Alimentos permitidos para o lanche

- Água
- Cuca ou bolo feito em casa
- Pão integral com geleia caseira
- Frutas frescas e secas
- Castanhas ou amêndoas
- Biscoitos integrais, cookies orgânicos, de preferência tudo feito em casa
- Sanduíche natural
- Suco natural
- Iogurtes naturais

As frutas devem ser sempre frescas Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Cuidados na conservação

- Se a escola não tiver geladeira, evitar iogurtes e sanduíches com ingredientes que estragam fácil.

- Com o calorão, o ideal é congelar o suco em uma garrafa térmica e tirar somente na hora de sair de casa. Assim, na hora do lanche, o suco vai estar na temperatura ideal.

- Se a escola tiver uma geladeira, melhor. Senão, as bolsas térmicas são uma opção eficiente para manter os alimentos.

- A montagem dos lanches faz toda a diferença. Para os pequeninhos, use cortadores em formato de coração, estrela, carrinho etc., pois isso leva as crianças a enxergarem a comida de uma forma especial e lúdica.

Produção: Shállon Teobaldo


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • serenaiti

    serenaiti

    snap:serenaitiA INDIA TEM ZAP ZAP OU NEM @diario_gaucho https://t.co/ZN8JgVkiSAhá 3 minutosRetweet
  • diario_gaucho

    diario_gaucho

    Diário Gaúcho👉👉 Bom dia, amigos e amigas do #DiarioGaucho Esta é a capa do jornal desta quarta-feira 👈👈 https://t.co/jKThsNLh9chá 6 minutosRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros