Por falta de perícia, homem aguarda há 70 dias para retirar carro de depósito em Alvorada - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu Problema é Nosso07/12/2016 | 08h17Atualizada em 07/12/2016 | 08h17

Por falta de perícia, homem aguarda há 70 dias para retirar carro de depósito em Alvorada

A 2ª Delegacia de Polícia do município informou que a perícia será solicitada ainda nesta semana

Por falta de perícia, homem aguarda há 70 dias para retirar carro de depósito em Alvorada Arquivo pessoal/Leitor/DG
Caminhonete após ser encontrada em oficina de desmanche Foto: Arquivo pessoal / Leitor/DG

Há 70 dias, o técnico de manutenção Marco Antônio Teixeira Euzebio, 55 anos, aguarda a liberação da caminhonete S10, azul marinho, 1997, que está em um depósito do Detran, em Alvorada, esperando perícia. O veículo foi furtado de um estacionamento na Zona Norte de Porto Alegre no dia 16 de setembro. A surpresa veio assim que saiu do trabalho.

— Entrei as 7h pra trabalhar e, quando saí, às 17h, o carro não estava mais lá. Na mesma hora, fui até a delegacia e registrei ocorrência — conta Marco Antônio.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

Os dias que se passaram foram de muita angústia para ele, que ficou acompanhando no sistema da delegacia eletrônica a situação sobre o furto da caminhonete. No dia 28 de setembro, recebeu a notícia de que ela havia sido encontrada em uma oficina de desmanche em Alvorada.

Prejuízos

Com a orientação de quais documentos deveria levar para retirar o carro, Marco Antônio foi esperançoso de ter o carro de volta, mas teve outra decepção.

— Eles levaram a caminhonete pro depósito do Detran e, quando cheguei lá, fiquei muito triste: ela está sem as quatro rodas, o painel, o radiador e o eixo traseiro. Entreguei os documentos e me avisaram que era necessário fazer uma perícia antes de liberarem. O problema é já se passaram mais de dois meses e nada, ainda — lamenta ele.

Desde então, Marco Antônio já foi até o depósito cinco vezes e diz que liga todos os dias para saber quando poderá levar o carro para casa. A resposta, segundo ele, é sempre a mesma: precisa aguardar a perícia, tem muitos veículos esperando e não há previsão.

A S10 é o único veículo do técnico, que, sem a caminhonete, está tendo prejuízos. Além de ficar sem o carro, que é usado para ir e voltar do trabalho, terá que desembolsar um dinheiro que não tem para consertar a caminhonete quando ela for liberada.

— Vou ter que mandar reformar o carro, estou calculando um custo de R$ 8 mil. A situação é horrível. Pago tudo direitinho, impostos, taxas e agora estou vivendo esse pesadelo — queixa-se Marco Antônio.

Leia mais
Falta de ônibus adaptados na Zona Sul de Porto Alegre prejudica cadeirante
Trecho de avenida afunda em Viamão e representa perigo para quem passa pelo local

Pedido de perícia ainda não foi feito

A assessoria de comunicação do Instituto Geral de Perícia (IGP), informou que, em uma pesquisa feita pelo órgão usando a numeração de identificação do carro e o número da ocorrência, não foi encontrado nenhum pedido de perícia para o veículo do senhor Marco Antônio Teixeira Euzebio.

De acordo com o delegado Luis Carlos Rollsing, da 2ª Delegacia de Polícia de Alvorada, a carta-laudo que viabiliza a perícia já está na delegacia, e o pedido será feito ao IGP ainda nesta semana.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros