Falta de remédio desde outubro na Farmácia de Medicamentos Especiais do Estado prejudica idoso - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu Problema é Nosso14/02/2017 | 08h03Atualizada em 14/02/2017 | 08h03

Falta de remédio desde outubro na Farmácia de Medicamentos Especiais do Estado prejudica idoso

Secretaria da Saúde informou que o medicamento será reposto na semana que vem

A aposentadoria de Miguel Ely Campos, 86 anos, morador do Bairro Restinga, em Porto Alegre, não é suficiente para arcar com as despesas médicas, de transporte e mais os R$ 450 em 15 frascos de Lactulose que necessita por mês. O medicamento, que é um tipo de laxante, é usado por Miguel desde 2012, quando fez uma cirurgia no intestino e passou a utilizar bolsa de colostomia.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

Com ganho em processo judicial, segundo a filha, a auxiliar administrativa Sandra Ely Ramos Campos, 50 anos, Miguel tem direito a receber as 15 unidades do remédio na Farmácia de Medicamentos Especiais do Estado. Entretanto, desde outubro a substância está em falta.

— A última vez que eu consegui retirar os frascos foi em setembro do ano passado. Desde então, tem sido uma luta para que ele não fique sem o medicamento. Ligo quase diariamente e já fui na Farmácia algumas vezes, e a resposta é sempre a mesma: está em falta e não tem previsão de reposição — diz Sandra.

Cada vidro de 120ml de Lactulose, também conhecido como Lactulona, custa em média R$ 30. Para quem vive com o orçamento apertado, gastar quase R$ 500 com apenas um remédio não é uma opção viável.

Prejuízo

Para piorar, Sandra conta que não é a primeira vez que não consegue pegar o Lactulose na farmácia pública. A falta, de acordo com ela, é recorrente.

— Não é apenas o meu pai que está prejudicado. São várias pessoas na mesma situação e, mesmo assim, o governo não toma uma providência.

Enquanto o remédio não é reposto, a família tem o substituído por um óleo mineral mais barato. Contudo, a solução é apenas paliativa e não é o ideal para a saúde do idoso.

— Ele não pode ficar sem o Lactulose. Antes da doença, ele era um homem ativo, caminhava, conversava. Agora, só responde se falam com ele e caminha com muita dificuldade, com bengala — desabafa Sandra.

Leia mais
Furtos, acúmulo de lixo, matagal e até um cavalo: cemitério municipal de Sapucaia do Sul está abandonado
Após buraqueira em ruas prejudicar 400 passageiros, ônibus voltam a circular em Alvorada
Terreno da prefeitura de Porto Alegre virou lixão a céu aberto

Promessa de reposição para a próxima semana

A Secretaria Estadual da Saúde informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que os processos administrativos de solicitação de medicamentos precisam passar por uma reavaliação periódica. A orientação é que o paciente Miguel Ely Campos reapresente a receita e laudo médico atualizados junto à Farmácia do Estado, para manter o fornecimento do remédio.

Sobre a falta da Lactulose e Lactulona, a reposição do remédio na Farmácia de Medicamentos Especiais será feita na próxima semana.

Doações

Se você quiser doar um ou mais frascos de Lactulose ou Lactulona para Miguel, entre em contato com a filha dele Sandra pelo telefone 3414-1930.


 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros