Aos 76 anos, Amélia aguarda há um ano cirurgia para colocar prótese no joelho - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu Problema é Nosso09/03/2017 | 10h29Atualizada em 09/03/2017 | 10h29

Aos 76 anos, Amélia aguarda há um ano cirurgia para colocar prótese no joelho

Segundo o Hospital Cristo Redentor, 44 pessoas estão na frente da idosa e a previsão é que ela seja chamada até o final deste ano

Aos 76 anos, Amélia aguarda há um ano cirurgia para colocar prótese no joelho Arquivo pessoal/Leitor/DG
Rosemeri (D) tenta manter a alegria da mãe Amélia (E) Foto: Arquivo pessoal / Leitor/DG

As caminhadas de todas as manhãs foram substituídas por longos dias em cima da cama. A alegria de dançar nos bailes deu lugar à chateação por não poder mais praticar uma das atividades de que mais gosta. Há quase um ano, a aposentada Amélia Eugênio do Nascimento, 76 anos, da Capital, aguarda por uma cirurgia pelo Sus para colocação de uma prótese no joelho direito.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

Conforme a filha, a comerciante Rosemeri Inocêncio, 59 anos, há dois anos, Amélia tropeçou num degrau e caiu. Na hora, já sentiu dor e notou o joelho roxo da queda. Desde então, a dor se tornou uma companhia, e Amélia chegou a usar cadeira de rodas.

Exames identificaram a necessidade de cirurgia e de colocação de prótese. Segundo Rosemeri, após muito esforço, o nome de Amélia foi incluído na lista para realizar a operação no Hospital Cristo Redentor. Entretanto, até o momento, ela ainda não foi chamada.

— Depois de um sufoco, conseguimos o encaminhamento para a cirurgia. O problema é que a fila não anda. Estamos sempre monitorando, e pouquíssimas pessoas foram chamadas — conta Rosemeri.

A demora em colocar a prótese está fazendo com que a cartilagem do joelho se desgaste ainda mais. Há dias, segundo Rosemeri, que Amélia passa o dia deitada por não aguentar a dor na perna. Como paliativo, toma uma injeção de Duoflam a cada 20 dias – que serve, entre outros fins, para tratar dores crônicas agudas e alterações osteomusculares.

– Ela não pode mais esperar, é uma situação urgente — queixa-se Rosemeri.

Leia mais
Falta de conscientização transformou rua de Alvorada em lixão a céu aberto
Com transferência negada em Cachoeirinha, menino é obrigado a caminhar 40 minutos até a escola
Com tumor cerebral grave, João Miguel conta com a solidariedade para custear tratamento

Espera prolongada até dezembro

A Secretaria da Saúde de Porto Alegre informou que Amélia não está mais na regulação municipal e que a responsabilidade agora é do Grupo Hospitalar Conceição (GHC).

A assessoria de comunicação do Hospital Cristo Redentor, coordenado pelo GHC, confirmou que realmente existem 44 pessoas na fila de espera na frente de Amélia para cirurgia eletiva de joelho. O hospital é prioritariamente uma emergência traumatológica.

Entretanto, também realiza cirurgias eletivas de colocação de próteses. Segundo a instituição, são feitas de 20 a 25

operações de colocação prótese de quadril ou joelho por mês no Cristo Redentor, incluindo as emergenciais e as eletivas. A previsão é que dona Amélia seja operada até o final deste ano.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • diario_gaucho

    diario_gaucho

    Diário Gaúchohttps://t.co/hvZRpVSEL2há 1 horaRetweet
  • Anaamvs_Sanches

    Anaamvs_Sanches

    Ana Maria SanchesNão Vote na esquerda @diarioonline @DiarioPE @diario_gaucho @dconline @tribunadonorte @atribunasantos @tribunaceara… https://t.co/Gl84UJxDHhhá 7 horas Retweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros