Após filha cair de 5 metros, mãe se preocupa com grade de proteção danificada - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso15/03/2017 | 08h17Atualizada em 15/03/2017 | 09h57

Após filha cair de 5 metros, mãe se preocupa com grade de proteção danificada

De acordo com Teresa de Fátima do Amaral, a tela foi prejudicada após um carro sem freio bater e quase cair

Após filha cair de 5 metros, mãe se preocupa com grade de proteção danificada Camila Domingues/Especial
Foto: Camila Domingues / Especial

Após quase três anos desde a queda da pequena Gisele Gonçalves Amaral, hoje com sete anos, o guarda-corpo da Rua Clemente Pereira, em frente ao número 1055, no Bairro São José, em Porto Alegre, segue representando perigo. Parte da grade proteção está quebrada e com dois buracos. De acordo com a dona de casa Teresa de Fátima do Amaral, mãe de Gisele, a tela foi danificada após um carro sem freio bater nela e quase cair.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

Guarda-corpo

Em maio de 2014, Gisele despencou de uma altura de 5m quando voltava da escola. Na época, não havia grades no local. O susto que viveu com a filha – ela teve fraturas em uma das clavículas, no crânio e nas pernas – fez a atenção de Teresa se tornar redobrada. Morando bem em frente a onde ocorreu o acidente, ela conta que entrou em contato com a prefeitura várias vezes, mas nenhuma manutenção foi feita na área.

— É perigoso deixar as crianças brincarem na rua porque alguém pode cair ali e se machucar, assim como aconteceu com a Gisele. O guarda-corpo está sem o ferro e com a tela aberta em um pedaço há quase dois anos e, mesmo assim, a prefeitura não mandou consertar — queixa-se ela.

Foto: Camila Domingues / Especial

O risco se estende também para os motoristas. O vizinho cujo carro se chocou contra a grade teve sorte de não cair. Em 2013, um motociclista não teve o mesmo êxito e despencou do barranco.

— Não quero que ninguém passe pelo que eu passei. Hoje, a Gisele já consegue passar por ali sem ficar nervosa, mas, quando ela sofreu o acidente, não queria nem sair de casa, porque moramos bem na frente — diz Teresa.

Leia mais
Menino de nove anos precisa de doadores de sangue e medula óssea para tratar doença rara
Aos 76 anos, Amélia aguarda há um ano cirurgia para colocar prótese no joelho
Com tumor cerebral grave, João Miguel conta com a solidariedade para custear tratamento

Conserto está previsto para esta quarta-feira

A Divisão de Conservação de Vias Urbanas (DCVU) da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana informou à reportagem que, em vistoria ao local, na Rua Clemente Pereira, em frente ao número 1055, na manhã de ontem, a equipe constatou "dano na continuidade do tubo intermediário do guarda-corpo, em 3,8m, e determinou a realização de recomposição do mesmo para esta quarta-feira."

A secretaria ressaltou, ainda, "que não há registro de nenhuma solicitação de reparo no local junto ao Fala Porto Alegre – Fone 156."


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros