Defensora dos animais, Luisa Mell diz que não mata nem pernilongo: "Abro a janela e digo: vai embora" - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Sem chinelo15/03/2017 | 14h06Atualizada em 15/03/2017 | 15h20

Defensora dos animais, Luisa Mell diz que não mata nem pernilongo: "Abro a janela e digo: vai embora"

Em entrevista à Jovem Pan, apresentadora admitiu que, ao invés de machucar, prefere conversar com o mosquito

Defensora dos animais, Luisa Mell diz que não mata nem pernilongo: "Abro a janela e digo: vai embora" Revista A+/Divulgação
Foto: Revista A+ / Divulgação

Reconhecida por defender os animais e até resgatá-los em programas de televisão, a ex-apresentadora Luisa Mell disse, em entrevista à rádio Jovem Pan na terça-feira, dia 14, que não mata pernilongos ou qualquer outro inseto. Ao invés de buscar o chinelo, ela prefere pedir que o bicho se retire.

A declaração foi dada quando os apresentadores do programa "Pânico", querendo brincar com Luisa, fizeram uma pergunta hipotética: se estivesse no meio da floresta e um tigre a ameaçasse, ela mataria o animal ou deixaria ele avançar?

Leia mais
Justin Bieber chama ex-BBB Mayla de "gostosa" em rede social
Ex-BBB Letícia Santiago dá à luz e mostra o rostinho do filho
"BBB 17": Globo se posiciona sobre chute de Emilly em Marcos

Luisa respondeu que mataria qualquer coisa que ameaçasse seu filho, e logo teve que responder a outra pergunta: ela mata barata?

Foi aí que veio a declaração, seguida da explicação de um caso que costuma ocorrer entra ela e o marido. Quando um pernilongo se aproxima, o marido de Luisa quer matar o inseto, mas ela avisa:

— Deixa que eu converso com ele. Eu falo: "vai embora, por favor". Ele vai. Quando meu marido começou a namorar comigo, ele falava que eu era louca. Eu converso com todos os animais — admitiu.

Antes de contar a forma como procede com os insetos, a ativista avisou que "não estava nem aí" caso a chamassem de louca. Segundo ela, esse comportamento é uma maneira diferente de enxergar os animais.

— Essa outra perspectiva da vida, de você realmente conseguir se colocar no lugar do outro e perceber que você não precisa exterminar os animais. Acredito que assim você constrói uma nova sociedade — defendeu.

Leia mais sobre famosos e entretenimento


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • iquesv

    iquesv

    Henrique V@curtaramiro lâmpada queimada em poste na Av. Vicente da Fontoura, 2539. @RdGaucha #gauchahohe @diario_gaucho @marchezan_ @Prefeitura_POAhá 3 horas Retweet
  • diario_gaucho

    diario_gaucho

    Diário Gaúchohttps://t.co/1pRq3r2km4há 5 horas Retweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros