Falta de exame deixa criança sem diagnóstico, em Canoas - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso21/09/2017 | 09h41Atualizada em 21/09/2017 | 09h41

Falta de exame deixa criança sem diagnóstico, em Canoas

Só para conseguir uma consulta para a pequena Ellen, a família demorou sete meses

Falta de exame deixa criança sem diagnóstico, em Canoas Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Ellen não fala desde que desde que nasceu Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

A família de Ellen Garcia Ferreira, seis anos, de Canoas, espera há cerca de um ano e meio por uma resposta sobre qual problema afeta a menina. Primeiramente, foram sete meses até conseguir consulta com uma neurologista para tentar descobrir porque a menina não fala desde que nasceu. 

Leia mais
Mãe sofre com demora na liberação de laudo da autópsia do filho
UBS reduz número de fichas de atendimento, em Esteio
Conheça leitores que tiveram sonhos realizados com a ajuda do DG

Em sua primeira e única consulta, em dezembro de 2016, a médica pediu que Ellen fizesse uma ressonância magnética de crânio, sob anestesia. A mãe, a dona de casa Quele Moraes Garcia, 27 anos, batalha desde então para realizar o exame. 

Para a família, é muito difícil não saber o que impede a filha de se comunicar verbalmente. Eles foram ao Hospital Universitário (HU) da Ulbra, onde receberam a informação de que o exame não poderia ser realizado. 

— Na Ulbra, dizem que não tem anestesista. E, quando falamos com a prefeitura, só dizem que ela ( Ellen) está na lista — conta Quele. 

Em setembro, Quele procurou uma clínica particular para se informar sobre os custos do exame. Estava disposta a tentar arrecadar o valor necessário para custeá-lo. Porém, descobriu que o local não realizaria esse tipo de procedimento anestésico em crianças. 

Preocupação 

A espera cada vez maior preocupa a família, que tentou esperar que a fala de Ellen viesse com o passar do tempo. Quando a menina completou quatro anos, a mãe percebeu que não poderia mais aguardar e buscou a ajuda médica. 

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso

— Como mãe, sempre esperamos o melhor. Depois de fazer um ano, ela não foi mais ao médico, mas sempre nos falaram que era normal demorar. Com o passar do tempo, vi que não dava mais para esperar, mas é difícil conseguir consulta — explica Quele. 

A menina é bastante agitada e precisa ser sedada para o procedimento. A ressonância magnética reproduz imagens de grande resolução e clareza de qualquer parte do interior do corpo — no caso, será do cérebro de Ellen. Dessa maneira, a neurologista poderá ver qual é a possível causa da demora para falar. 

Como o exame é feito dentro de uma máquina e demora alguns minutos, é essencial que o paciente fique o mais parado possível para garantir que as imagens sejam produzidas em boa qualidade. 

Não há prazo para procedimento

A Secretaria de Saúde de Canoas afirmou que tem fiscalizado a realização dos procedimentos por parte dos prestadores de serviços, como o HU. Em janeiro, a prefeitura alega ter identificado uma quantidade expressiva de exames, cirurgia e consultas sem resposta, com pacientes que aguardavam havia anos. 

A Secretaria afirmou que, em conjunto com o Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública ( Gamp), gestor do HU, por meio de mutirões e outras ações, estão sendo reduzidas as filas de espera do período entre 2012 e 2016. 

Segundo o órgão, os pacientes de dezembro de 2016 que aguardam algum procedimento serão chamados nos próximos dias. 

Ao contrário do que foi informado a Quele, a prefeitura afirma que não há falta de anestesistas no HU. Esclareceu que todos os esforços estão sendo realizados para que a menina consiga fazer o exame o mais breve possível, sem mencionar um prazo para isso. 

*Produção: Leticia Gomes 

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros