Bebê que precisa de cirurgia no crânio teve procedimento adiado três vezes - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso16/11/2017 | 10h04Atualizada em 16/11/2017 | 10h04

Bebê que precisa de cirurgia no crânio teve procedimento adiado três vezes

A falta de cirurgia pode comprometer a visão e a audição do menino, além de causar problemas neurológicos

Bebê que precisa de cirurgia no crânio teve procedimento adiado três vezes Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
O pequeno Josué precisa passar por um procedimento no crânio Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

 Josué Vasconcelos, dez meses, aguarda desde setembro por uma cranioplastia. O menino nasceu com uma anomalia chamada de trigonocefalia, doença que causa uma má formação do crânio. 

Leia mais
Vândalos serram equipamentos de academia pública em praça de Porto Alegre
Problema com esgoto ocorre há dois anos em bairro de Porto Alegre
Menino precisa de doações para conseguir sonda que o ajuda a se alimentar

O período correto para correção de craniossinostose acontece entre os seis e 12 meses de vida. Mas o bebê já teve seu procedimento cancelado três vezes pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre ( HCPA) devido à falta de equipe ou de leito. Agora, Josué aguarda pela cirurgia em casa. 

A mãe do bebê, Andréia Caldas Vasconcelos, 45 anos, que deixou seu trabalho como cuidadora de casas de família para dar atenção ao filho, se preocupa com a situação. 

— Noto que, no decorrer do tempo, ele fica mais choroso e com dor. Ele treme, como se tomasse um choque no corpinho. Isso me preocupa, porque ele não fazia essas coisas e, infelizmente, só nos mandam aguardar — desabafa a mãe. 

A mãe de Josué explica que, de acordo com os médicos, a falta de cirurgia pode comprometer a visão e a audição do menino, além de causar problemas neurológicos. 

— Falta espaço para o cérebro crescer, já que as moleiras não abriram — explica a mãe. 

Chapéu do Sol 

Quando notou algo diferente no bebê, em março deste ano, a mãe o levou para a Unidade de Saúde da Família Chapéu do Sol, que o encaminhou para o Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Assim, após realizar uma tomografia, descobriu que o filho precisaria de uma cirurgia.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!    

— O médico me explicou que, pela força do parto e pela demora, os ossos se “ acavalaram” e, assim, ficou fechado — conta. 

A princípio, a cirurgia havia sido marcada para setembro. Depois, adiada para outubro e, novamente, remarcada para novembro. Agora, a mãe espera que a cirurgia seja realizada em dezembro. 

— Eles te dão uma esperança mas, chega na hora e a cirurgia não é realizada — lamenta a mãe. 

Clínicas: cirurgia está marcada 

Chefe do Serviço de Cirurgia Plástica do HCPA, Marcus Vinicius Martins Collares explica que o procedimento pelo qual Josué precisa passar é de grande porte, envolvendo equipes de cirurgia craniomaxilofacial, neurocirurgia, anestesiologia e recuperação pósoperatória em leito da UTI pediátrica. 

Por isso, "eventualmente, os casos necessitam de remarcação por conta de indisponibilidades, ou ainda substituição por casos mais urgentes". 

Marcus relata que é o caso de Josué: uma vez, foi substituído por outro paciente, que enfrentava situação mais grave, e, outra vez, por falta de leito na UTI pediátrica.

O Clínicas confirma que, mesmo com os adiamentos, o bebê se encontra dentro da idade para realizar o procedimento e afirma que a cirurgia está marcada para 8 de dezembro próximo.

*Produção: Eduarda Endler

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros