Falta de pagamento por parte da prefeitura deixa ruas esburacadas em bairro de Porto Alegre - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso21/11/2017 | 09h23Atualizada em 21/11/2017 | 09h23

Falta de pagamento por parte da prefeitura deixa ruas esburacadas em bairro de Porto Alegre

A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim) explicou que a empresa que prestava serviços de patrolamento pediu a suspensão do contrato devido a falta de pagamentos

Falta de pagamento por parte da prefeitura deixa ruas esburacadas em bairro de Porto Alegre Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Antes da visita da prefeitura, buracos estavam descobertos Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Os moradores da Praia do Lami, no extremo sul de Porto Alegre, estão enfrentando um cenário complicado nas ruas da comunidade. A falta de patrolamento das vias é o motivo desta situação. E com a chegada de dias mais quentes e aumento do movimento na região, o medo da vizinhança é que tudo fique ainda pior.

Leia mais
Menino precisa de doações para realizar cirurgia cardíaca
Esgoto é consertado depois de 20 anos em Dois Irmãos, no interior do Estado
Bebê que precisa de cirurgia no crânio teve procedimento adiado três vezes

Entre as vias da Praia do Lami, estão a Avenida Beira-Rio, a Travessa do Espigão, os becos do Pontal, do Lami e Beira-Rio, e as ruas Nove Irmãos, Dona Malvina, José Bernardes, Nova Olinda, Bisa, Luis Feula, Cândido Genro Neto e Sônia Duro. 

Todas estão com problemas de manutenção, segundo o comerciante Cristiano Silva Souza, 43 anos, morador do Lami há cerca de  dez anos. Além da buraqueira, o barro nas estradas também incomoda, Cristiano não pode mais nem lavar o carro, pois o esforço logo se perde quando ele coloca o veículo para rodar novamente pelo local.

Serviço realizado

Após o contato do Diário Gaúcho com a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim), na quinta-feira passada (16), foram enviados dois caminhões e uma retroescavadeira ao Lami no dia seguinte, sexta-feira, e ontem, conforme o comerciante. 

— Fazia mais de 50 dias que não passava uma patrola por aqui — afirma Cristiano.

Segundo ele, apesar do material usado pela prefeitura para tapar os buracos ser caliça de obras e barro vermelho, a situação ficou um pouco melhor, ao menos na rua Nove Irmãos, onde o morador mantém um minimercado.

— A nossa sorte foi o sol no fim de semana que secou esse barro que colocaram, se chovesse ia virar uma lamaçal — diz o comerciante.

Falta de pagamentos impactou serviço

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Smim explicou que a empresa que prestava serviços de patrolamento na Zona Sul pediu a suspensão do contrato. O motivo, segundo a própria Smim, foi a falta de pagamentos por parte da prefeitura. Ainda segundo a assessoria, não há previsão para que a situação seja regularizada junto a empresa responsável pelos serviços.

A Smim prometeu verificar as vias citadas pela reportagem e faz mais reparos durante esta semana. A secreta contradiz a informação do morador da região de que não há patrolamento no local há quase dois meses. Segundo a Smim, o último patrolamento feito na região foi entre 27 de outubro e 1º de novembro.

*Produção: Alberi Neto

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!   


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros