Mãe faz campanha para realizar o sonho da filha: poder caminhar normalmente - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso27/11/2017 | 09h23Atualizada em 27/11/2017 | 09h25

Mãe faz campanha para realizar o sonho da filha: poder caminhar normalmente

Isadora nasceu com uma má-formação óssea nos dois pés e na mão esquerda e precisa de cirurgias para corrigir a situação

Mãe faz campanha para realizar o sonho da filha: poder caminhar normalmente Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Menina sofre de má-formação óssea Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

É difícil imaginar como um simples ato diário pode ser o sonho de alguém. Para Isadora Selau Santos da Silva, seis anos, sonho é poder usar um calçado. E não são dificuldades financeiras que impedem a família de presentear a menina com um tênis. O empecilho está na má- formação óssea nos dois pés e na mão esquerda, que Isadora tem desde que nasceu. 

Leia mais
Vazamento de água é consertado depois de quase dois meses na Capital
Vazamento de esgoto se estende há um ano em bairro de Porto Alegre
Força-tarefa do Dmae trabalha para consertar vazamentos nas ruas da Capital

A moradora do bairro Praia da Cal, em Torres, Litoral Norte, adora brincar e, em vídeos publicados nas redes sociais pela mãe, a dona de casa Zeli da Silva Selau, 46 anos, mesmo com a deficiência, a criança aparece correndo pelo pátio de casa, brincando em um balanço e até se apresentando como dançarina rítmica — sempre na ponta dos pés. 

Entretanto, seu futuro é incerto. Com o crescimento, os pés não terão condições de sustentar seu peso. 

— Ela anda igual uma bailarina, na ponta dos pés, e até isso está ficando difícil. Em alguns dias, ela sente dor e precisamos carregá- la no colo — conta Zeli. 

O problema de Isadora é raro. A mãe descobriu que, além da filha, só existem outros três casos no país. Antes de completar um ano de vida, a menina começou a fazer acompanhamento no Hospital São Lucas da PUC, em Porto Alegre. Até o ano passado, era lá que Isadora fazia o tratamento, mas a solução apresentada pelos médicos decepcionou a mãe: 

— Como é um caso raro, não teriam como fazer a cirurgia aqui. Me disseram que a solução seria amputar as pernas da Isadora, mas eu não quis acreditar. Fui em busca de outras soluções. 

Especialista 

Zeli organizou um bingo beneficente e recebeu outras doações, usadas para uma viagem a São Paulo, sob orientação da Promotoria de Justiça de Torres, que acompanha o caso da menina desde que nasceu. Lá, Isadora passou por consulta com um médico que é referência no país em alongamento ósseo. O resultado renovou as esperanças. 

A má-formação pode ser corrigida em um tratamento por etapas que envolve quatro cirurgias, realizadas em intervalos de um ano. Entretanto, o preço dos procedimentos assustou a família. 

"Milagre"

Somente para a primeira operação, os custos seriam de quase R$ 70 mil. Para isso, também é preciso de um hospital que aceite fazer a cirurgia. No Hospital Israelita Albert Einstein, referência no país e onde trabalha o médico com quem Isadora consultou, o valor cobrado é de R$ 600 mil. 

— Eu preciso de um milagre e conto com a ajuda de quem puder para conseguir realizar o sonho da minha filha — diz a mãe. 

No momento, a família busca um hospital em São Paulo que cobre menos pelo procedimento. 

Saiba como ajudar

— A família de Isadora aceita doações por meio da vaquinha online criada pela família.

— Também é possível fazer doações por meio de depósito bancário. A família tem poupança na Caixa em nome de Isadora Selau Santos da Silva. A agência é 0524, operação 013, conta poupança 00009780- 3. 

— Mais informações podem ser obtidas com a mãe de Isadora, Zeli, pelo telefone ( 51) 99685- 2419. 

*Produção: Alberi Neto 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros