Moradores reclamam de mais vazamentos de água potável em Porto Alegre - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso09/11/2017 | 09h48Atualizada em 09/11/2017 | 09h51

Moradores reclamam de mais vazamentos de água potável em Porto Alegre

O Diário Gaúcho mostrou, nesta quarta-feira (8), um problema que se espalha pela cidade: os vazamentos de água potável. Depois da publicação, outras denúncias surgiram

Moradores reclamam de mais vazamentos de água potável em Porto Alegre Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
No bairro São José, vazamento alagou rua e prejudicou o asfalto Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Nesta quarta-feira, o Diário Gaúcho mostrou um problema que se espalha pela cidade: os vazamentos de água potável. Segundo o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae), o problema se acumulou devido à greve dos servidores municipais, que reduz pela metade as equipes de trabalho. 

Leia mais
Com serviço reduzido no Dmae, vazamentos de água potável se espalham por Porto Alegre
Moradores convivem com esgoto a céu aberto há 30 anos em Porto Alegre
Esgoto é consertado depois de dez anos no Sarandi

Entretanto, o número de problemas relacionados as fugas de água se prolongam há algum tempo. E, depois da reportagem publicada ontem, o DG recebeu outros relatos de pontos onde o desperdício está acontecendo. Os problemas relatados por leitores são em pontos da Zona Norte, como nos bairros Rubem Berta e Jardim Lindoia, e na Zona Leste, nos bairros São José e Partenon. 

Ainda segundo os moradores, entre alguns que entraram em contato com a prefeitura, o número de protocolo da reclamação não foi informado pelo atendente. O motivo seria a existência de registros anteriores do mesmo problema no sistema. 

Em um dos casos, o vazamento se prolongou por tanto tempo e com tanta intensidade que o asfalto da Rua Pereira Ibiapina, no bairro São José, começou a ceder, com buracos se abrindo na pista. Moradora do local, a comerciante Maiara Patrícia Danhaia Ramos, 33 anos, está preocupada com as condições da rua. 

— Esse asfalto está todo oco. E está cheio de água que vazou aí por baixo. Sempre tem crianças brincando aí na rua, se chega a ceder o solo, imagina a tragédia — alerta Maiara. 

Desabastecimento 

A fuga de água, que já dura um mês, foi tanta que, na terçafeira, faltou água na região, segundo a moradora. Maiara conta que ainda ontem o abastecimento foi normalizado, mas o vazamento segue: 

– Voltou (o abastecimento). Mas, do jeito que está indo água embora, vai faltar de novo. 

Além da fuga no bairro São José, moradores da Capital encaminharam ao DG informações sobre outros vazamentos. Na Rua João Paris, 1.145, bairro Rubem Berta, o problema ocorre há 15 dias. Na Rua Rosa Maria Malheiros, 9, no mesmo bairro, já são três semanas de vazamento. Também no Rubem Berta, na Rua Cezário Lopes da Silva, 53, o vazamento dura 45 dias. No bairro Jardim Lindoia, um vazamento ocorre na Rua Ouro Preto, 867. Outra fuga, na Avenida Bento Gonçalves, 4.385, jorra água há 20 dias. 

Atendimento está reduzido 

A assessoria de imprensa do Dmae explicou que o departamento está empenhado em resolver os problemas, mas reforçou que, devido à greve dos servidores municipais, as equipes nas ruas estão reduzidas. O órgão alega estar atendendo dentro da capacidade possível. 

O Dmae afirmou que em casos de problemas que já existem protocolos registrados, não é registrada uma nova reclamação, para não gerar relatos duplos no sistema. O morador que liga para relatar problema já registrado no sistema pode pedir o mesmo número de protocolo que já foi informado para quem registrou primeiro a situação. 

*Produção: Alberi Neto

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso! 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros