Falta de especialista e espera por leito causam sofrimento para idosa em Alvorada - Notícias

Versão mobile

Seu problema é nosso26/12/2017 | 09h29

Falta de especialista e espera por leito causam sofrimento para idosa em Alvorada

Após consultar com um dermatologista em seu posto de saúde no dia 19, Eva foi diagnosticada com pênfigo bolhoso e aguarda por um consulta em Porto Alegre

Falta de especialista e espera por leito causam sofrimento para idosa em Alvorada Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Há cerca de três meses, a aposentada Eva dos Santos Martins, 73 anos, moradora de Alvorada, desenvolveu uma doença de pele que causa feridas e bolhas por todo o corpo, e, como consequência, muitas dores. Porém, devido à falta de um médico especialista no hospital da cidade, o sofrimento da idosa prossegue. 

Leia mais
Família consegue na Justiça fisioterapia para o filho de dois anos em Alvorada
Buraco aberto há cinco meses em Viamão causa transtorno para motoristas e pedestres
Descaso da prefeitura deixa banheiro público sem manutenção há cinco meses em Sapucaia do Sul

De acordo com a dona de casa Marciane Silveira, 30 anos, que é casada com o neto de Eva, a doença começou com pequenas manchas na pele, "como uma catapora". A aposentada foi atendida no posto de saúde do seu bairro, porém as consultas com clínico-geral não surtiam efeito, e as feridas foram aumentando. 

Há cerca de um mês, a família, então, buscou a emergência do Hospital Nossa Senhora da Conceição, na Capital, onde a idosa foi medicada para a dor e orientada a buscar atendimento na sua cidade de origem. 

Peregrinação 

Após consultar com um dermatologista em seu posto de saúde no dia 19, Eva foi diagnosticada com pênfigo bolhoso. 

— O médico não pediu para fazer nenhum exame, deu o diagnóstico a partir de uma análise visual. E nos orientou a tentar interná- la em algum hospital de Porto Alegre — contou Marciane. 

Assim, a família ainda buscou a Santa Casa e o Hospital de Clínicas. Em ambos, segundo a dona de casa, Eva não foi atendida e recebeu a orientação de buscar o hospital do seu município de moradia. 

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso! 

No dia 20, após a família ter procurado a Secretaria de Saúde de Alvorada, Eva finalmente foi internada no hospital local. Porém, Marciane descobriu que a instituição não conta com o especialista do qual a idosa precisa: um dermatologista. 

— O hospital está fazendo um tratamento com clínicos- gerais, mas sem saber exatamente o problema que ela tem porque não contam com um dermatologista. Isso está nos deixando aflitos, pois sabemos que pênfigo é uma doença grave — desabafou Marciane. 

Se não tratada a tempo, a pênfigo pode levar à morte. A doença acomete, geralmente, adultos a partir dos 50 anos. 

Consulta está marcada para janeiro 

Segundo a Secretaria de Saúde de Alvorada, os familiares de Eva solicitaram uma visita domiciliar, que ocorreu em 14 de dezembro. Na visita, de acordo com a pasta, uma médica, acompanhada de uma técnica de enfermagem, "verificou a necessidade urgente de uma consulta com dermatologista". O município informou que a consulta com a especialista aconteceu no dia 19 passado. 

No dia seguinte ao atendimento, foi encaminhada a documentação dela para a Central de Regulação do Estado, pedindo a internação de Eva. Agora, segundo a prefeitura, cabe à Central encaminhar a paciente para internação. 

Informações confusas 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-RS) informou, por meio de sua assessoria, ter recebido de Alvorada a solicitação de uma consulta com dermatologista, e não a de internação hospitalar. 

Ainda conforme e SES, a Central de Regulação Ambulatorial (CRA) do Estado marcou a consulta para o Hospital Conceição no dia 5 de janeiro. Somente após este atendimento, Eva saberá como se dará o seu tratamento. 

*Produção: Alberi Neto 

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso! 

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros