Falta de capina por parte da prefeitura impede continuidade de projeto social em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

Seu problema é nosso 09/01/2018 | 10h11Atualizada em 09/01/2018 | 10h11

Falta de capina por parte da prefeitura impede continuidade de projeto social em Porto Alegre

Cerca de 140 crianças participam das aulas gratuitas de futebol. Mas com a grama alta, recentemente, um aluno foi picado por uma aranha e as aulas pararam completamente

Falta de capina por parte da prefeitura impede continuidade de projeto social em Porto Alegre Robinson Estrasulas / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Robinson Estrasulas / Agência RBS / Agência RBS

Joel de Arruda, 53 anos, é aposentado e, desde 2008, dá aulas voluntárias de futebol para 140 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social no bairro Bom Jesus, em Porto Alegre. 

Leia mais
Enchentes do Arroio Feijó são retrato do descaso do poder público com a população da Região Metropolitana
Ônibus adaptados voltam a atender linha que passa por APAE em Porto Alegre
Lar para moradores de rua precisa de doações para seguir funcionando em Porto Alegre

Entretanto, há 60 dias, o cronograma de treinos está prejudicado. A grama das praças públicas que ele utiliza está sem poda e inviabiliza a prática do esporte, representando, inclusive, um perigo para os jovens pela presença de insetos. 

Recentemente, um aluno foi picado por uma aranha. Por isso, há 15 dias, as aulas pararam completamente. 

— Ficamos mendigando algo que deveria ser realizado periodicamente. O pior é ver as crianças prejudicadas, afinal, é um momento do dia muito prazeroso para eles — desabafa Joel. 

Foto: Robinson Estrasulas / Agência RBS

As aulas acontecem diariamente, a partir das 17h, na Praça Central Parque Rossi, localizada na Rua Marta Costa Franzen, e na Praça José Luiz Carneiro Cruz, na Rua São Benedito. 

— O esporte não é essencial só para o físico, mas também para desenvolver a cidadania. Faço questão de ensinar disciplina, respeito e amizade. É muito emocionante ver esse crescimento da gurizada — conta.

Obstáculos 

Com alunos de seis a 18 anos, Joel destaca sua preocupação com o bem-estar da gurizada. Segundo ele, por conta do apelo dos alunos, pretende voltar com os treinos na próxima semana, mesmo com a capina por fazer: 

— Nós nos sentimos desamparados, desprotegidos. Essas aulas são uma forma de tirar o tempo ocioso desses jovens, tirar eles da rua, promover uma atividade diferente que garanta que eles estejam atendidos. 

Foto: Robinson Estrasulas / Agência RBS

Secretaria de Serviços Urbanos promete capina até o fim do mês

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) informou que as duas praças estão no cronograma do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) para serem atendidas na quarta semana de janeiro.

O órgão explicou que, além da capina, os espaços também receberão equipes de limpeza. A administração pública afirmou que a Praça Central Parque Rossi teve a última poda no dia 6 de setembro de 2017. Já a Praça José Luiz Carneiro Cruz foi contemplada em 25 de outubro de 2017. 

Mais agilidade 

A Secretaria explicou, em nota, que o DMLU passou a ser responsável por essa função em outubro de 2016, com a capacidade de execução de, aproximadamente, 200 praças por mês. Assim, o intervalo esperado entre cada serviço realizado é de três meses por local. 

Mas o órgão informou também que um novo contrato está sendo estabelecido, com objetivo de aumentar os serviços no período de verão, reduzindo o espaço entre os atendimentos para 45 dias. Atualmente, o processo está em tramitação na Secretaria Municipal da Fazenda.

*Produção: Leticia Gomes 

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso! 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros