Moradores resolvem limpar bueiros e bocas de lobo por conta própria em bairro da Capital - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso24/01/2018 | 09h36Atualizada em 24/01/2018 | 09h39

Moradores resolvem limpar bueiros e bocas de lobo por conta própria em bairro da Capital

A atitude se tornou mais frequente desde que uma tampa de bueiro quebrou e criou um ponto de acúmulo de lixo na via, há cerca de quatro meses

Moradores resolvem limpar bueiros e bocas de lobo por conta própria em bairro da Capital Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Descontentes com a falta de ações do poder público na via em que vivem, moradores da Vila Farrapos, na zona norte da Capital, resolveram agir por conta própria. São eles mesmos que limpam os bueiros e as bocas de lobo da Rua Flávio de Oliveira Ramos.

Leia mais
Calçada está com cratera aberta há cinco meses em bairro de Porto Alegre
Portador de leucemia, menino precisa de doações para fazer transplante em Brasília
Prefeitura de Viamão derruba 17 árvores em praça da cidade e revolta moradores 

A atitude se tornou mais frequente desde que uma tampa de bueiro quebrou e criou um ponto de acúmulo de lixo na via, há cerca de quatro meses. Segundo o técnico de cabeamento Adriano Rodrigues Goulart, 37 anos, o bueiro sem tampa — praticamente na esquina da via com a Avenida Voluntários da Pátria — tem preocupado a vizinhança. 

Além da limpeza, os moradores sinalizaram o local, mas o trânsito intenso de caminhões acaba expondo a cratera novamente — já que a região é perto de indústrias e pode ser usada como rota de acesso à BR-290 e à BR-448.

Espera 

O mecânico Maureli Corleone da Silva, 38 anos, é um dos que ajuda nessa manutenção coletiva. Preocupado, ele diz que pedestres e veículos já caíram no bueiro – por enquanto, sem consequências graves. 

Segundo Maureli, a limpeza feita pelos vizinhos tem ajudado no escoamento da água das chuvas na região. 

— Depois que começamos a limpar, não teve mais alagamento. Então, estamos tentando manter assim. Só falta consertar a tampa do bueiro, mas aí não temos os materiais necessários — explica o mecânico, que chegou a fazer uma tampa de concreto improvisada para o local, mas o objeto não foi suficiente para suportar o trânsito da via. 

Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG

Novo buraco 

Na semana passada, seu filho, o estudante Daniel Prado da Silva, 14 anos, entrou na tubulação para retirar objetos e impedir o entupimento dos canos. Quem registrou a cena foi o vizinho Adriano. 

— O Daniel fica preocupado, não quer que alague aqui de novo. Tem dias que chego do serviço e ele está lá, tirando os lixos por conta própria. Costumo ajudá-lo na tarefa — conta o pai, ciente de que a comunidade faz um trabalho que não deveria e que envolve riscos. 

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

Para Adriano, a situação resulta de vários problemas. O escoamento da água da chuva é ruim em função dos entupimentos das redes pluviais, diz ele.

— Tem, ainda, muitos caminhões passando aqui. Isso também prejudica, pois são muito pesados. Depois de uma chuvarada que tinha alagado a rua, um caminhão passou ali e quebrou a boca do bueiro — relembra. 

Segundo o técnico de cabeamento, há outro buraco se abrindo mais perto de sua casa: 

– Como entope (a rede), a água deixa o solo abaixo do asfalto oco, e aí a pista passa a ceder com o peso do carros.

Secretaria: reparo será em fevereiro

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos ( SMSUrb) informou que fez uma vistoria na Rua Flávio de Oliveira Ramos. A previsão para que o novo bueiro esteja pronto é de 20 dias. 

Este é o tempo necessário para a confecção e secagem da laje de concreto armado e para a fundição da tampa de ferro. O conjunto deverá ser instalado na via no dia 15 de fevereiro, conforme a secretaria. Quanto ao outro buraco, próximo à casa de Adriano, a pasta informou que o Dmae fará vistoria no local, mas não detalhou quando. 

Ainda segundo a SMSUrb, foi feita a limpeza das bocas de lobo da rua e verificada a necessidade de substituição do bueiro no dia 25 de outubro do ano passado. Porém, conforme a secretaria, "a tampa estava em falta no estoque e não foi substituída". 

A SMSUrb reforçou a importância de os moradores registrarem problemas via telefone 156, anotando o número de protocolo. Isso porque, com os novos contratos de reparos em vigor na prefeitura, os bairros com maior número de protocolos serão atendidos primeiro — a exceção são os casos emergenciais.

*Produção: Alberi Neto

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros