Portador de leucemia, menino precisa de doações para fazer transplante em Brasília - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso22/01/2018 | 08h33Atualizada em 23/01/2018 | 09h43

Portador de leucemia, menino precisa de doações para fazer transplante em Brasília

A família organizou uma vaquinha online para reunir doações de pessoas interessadas em ajudar Arthur na batalha contra a leucemia

Portador de leucemia, menino precisa de doações para fazer transplante em Brasília Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Portador de leucemia linfoide aguda, também chamada de LLA, o garoto Arthur Brito Oliveira, 11 anos, está a um passo de dias melhores. Isso porque ele, que mora com os pais no bairro Restinga, em Porto Alegre, está se preparando para ir a Brasília, no Distrito Federal, passar por uma transplante de medula óssea — fundamental para a cura da doença. 

Leia mais
Prefeitura de Viamão derruba 17 árvores em praça da cidade e revolta moradores
Idosa espera por exames desde outubro do ano passado, em Canoas
Carro é engolido por buraco em estrada na zona sul da Capital

No entanto, conforme a mãe de Arthur, a atendente de padaria desempregada Aline de Azevedo Brito, 38 anos, mesmo com os custos da operação e da viagem sendo cobertos pelo Sus, a estadia da família na cidade — que deve se estender por mais de um ano — terá de ser paga por eles. 

Vaquinha 

Pensando nisso, a família organizou uma vaquinha online para reunir doações de pessoas interessadas em ajudar Arthur na batalha contra a leucemia. O objetivo da ação é arrecadar R$ 50 mil. Até a tarde de ontem, 25,86% do valor havia sido angariado, totalizando R$ 12.930. 

— Vamos para Brasília no dia 10 de fevereiro. Se o doador compatível já estiver disponível para a doação, ficaremos por lá. Depois da cirurgia, que deve ocorrer no dia 18 de fevereiro, o Arthur terá consultas semanais durante um ano. Após este período, ele ainda terá acompanhamento por mais quatro anos, fechando os cinco anos de tratamento — explica a mãe. 

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

Durante o primeiro ano pós-cirurgia, a família precisa ficar na Capital Federal, já que Arthur terá de passar por acompanhamentos semanais no Instituto de Cardiologia de Brasília, onde dará sequência ao seu tratamento. Os valores arrecadados com as doações serão usados em hospedagem, transporte e alimentação da família e na compra de medicamentos para o menino.

Descoberta 

Arthur sofre com a LLA desde seus sete anos. A mãe lembra que os primeiros sintomas eram o cansaço extremo e as dores nas pernas sentidas pelo garoto. Depois, o menino começou a liberar coágulos de sangue pela boca. 

Preocupados, os pais procuraram ajuda médica no plano de saúde que tinham, mas os problemas não cessaram. Por indicação dos médicos que atendiam pelo convênio, levaram Arthur ao Hospital da Criança Santo Antônio, onde foi dado o diagnóstico da leucemia. 

Os dois anos seguintes à descoberta da doença foram de sessões constantes de quimioterapia. A LLA desapareceu, mas havia o risco de retorno. E, em abril do ano passado, o câncer sanguíneo retornou. 

— Quando a leucemia retorna, o único tratamento efetivo é o transplante de medula óssea. O Arthur tem três doadores 100% compatíveis. Então, estamos apenas aguardando o "ok" do hospital de Brasília — conta a mãe. 

Saiba como ajudar

— Doações podem ser feitas através da vaquinha online criada pela família. 

— Também é possível fazer depósitos bancários em uma poupança da Caixa. A operação é 013, a agência é 0827, e o número da conta é 00034079- 9. O depósito será feito em nome da mãe de Arthur, Aline de Azevedo Brito. 

— Mais informações podem ser obtidas com Aline por meio do telefone (51) 99770- 2784. 

*Produção: Alberi Neto

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros