Falta de semáforo em entrocamento no limite de Porto Alegre com Viamão causa confusão entre motoristas - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso07/03/2018 | 09h48Atualizada em 07/03/2018 | 09h51

Falta de semáforo em entrocamento no limite de Porto Alegre com Viamão causa confusão entre motoristas

Os perigos existentes na ligação das vias são tema de reportagens do Diário Gaúcho desde, pelo menos, 2004

Falta de semáforo em entrocamento no limite de Porto Alegre com Viamão causa confusão entre motoristas Google Maps / Reprodução/Reprodução
Até o Google Maps registra a confusão que existe no local Foto: Google Maps / Reprodução / Reprodução

O entroncamento das avenidas Paraíso e Protásio Alves, perto do limite entre Porto Alegre e Viamão, é velho conhecido de quem trafega pela região — em especial, pela falta de sinalização. Segundo o mapa oficial da Capital, a área pertence à cidade. 

Leia mais
Terreno em Alvorada vira lixão irregular e moradores cobram limpeza da prefeitura
Conserto de bueiro fica na promessa e buraco segue gerando alagamentos na Capital
Buracos em vias no extremo sul de Porto Alegre são nivelados após reportagem do DG

Os perigos existentes na ligação das vias são tema de reportagens do Diário Gaúcho desde, pelo menos, 2004. Morador do bairro Paraíso, em Viamão, desde os oito anos, o comerciante Luiz Edgar Santos Machado, hoje com 63 anos, procurou o DG em 2009 para relatar o caso. 

Na época, a EPTC chegou a instalar uma sinaleira no local, mas, segundo o morador, o equipamento foi retirado após um ano: 

— Até hoje, não entendemos por que houve a retirada. 

Sem a sinalização adequada, os motoristas têm dificuldade em saber de quem é a preferência no acesso às avenidas. Existe também a insegurança para os pedestres que precisam passar pelo local. 

Fluxo maior 

Quase dez anos depois, Luiz conta que o movimento está muito maior, principalmente, no início da manhã e no final da tarde. Diferentemente de 2009, agora a Avenida Paraíso também é o fim da linha ou ponto de passagem de linhas de ônibus, conforme relato do comerciante. 

Isso aumentou o volume de pedestres circulando na via, fazendo com que atravessar a rua seja uma atividade arriscada. Mesmo com faixas de pedestres pintadas em três pontos do asfalto das duas avenidas, a falta do semáforo traz insegurança. 

— Não adianta só esperar pelo bom senso, precisamos da sinaleira para disciplinar o trânsito aqui — aponta Luiz. 

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso   

Outra preocupação do morador é quanto à segurança dos alunos da Escola Estadual de Educação Básica Almirante Bacelar, que fica na Avenida Paraíso, bem próximo do entroncamento com a Protásio. 

— No movimento que tem de veículos nos horários de entrada e saída dos alunos, é perigoso para as crianças atravessarem a rua sem uma sinalização adequada — diz o comerciante. 

EPTC fará análise do trânsito na região 

Por meio de sua assessoria de imprensa, a EPTC explicou que será feita uma "contagem de pedestres" na região. O estudo servirá como base para uma análise de moderação do tráfego, em que serão definidas as medidas para melhorar o fluxo no local. Podem, por exemplo, ser implantadas sinaleiras ou lombadas no local. 

A EPTC reconhece que houve aumento populacional e de tráfego na região, nos últimos anos, e trabalha para concluir as análises o mais rápido possível. Nos últimos cinco anos, três acidentes ocorreram no local, "número considerado baixo". 

Quanto à sinaleira instalada em 2009, a empresa explicou que se tratava de uma sinalização provisória, referente a obras na ponte que liga Porto Alegre a Viamão. Concluídos os reparos, o semáforo foi removido. 

*Produção: Alberi Neto

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros