Buraco no bairro Vila Jardim aumenta após obra do município - Notícias

Versão mobile

 

Seu Problema é Nosso20/04/2018 | 09h59Atualizada em 30/04/2018 | 12h47

Buraco no bairro Vila Jardim aumenta após obra do município

Obra iniciada no final de março pelos agentes do município causa alto risco de queda para o aposentado

Buraco no bairro Vila Jardim aumenta após obra do município Leitor DG / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Foto: Leitor DG / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Em 27 de março, quando agentes do município iniciaram uma obra na Rua Israel, bairro Vila Jardim, em Porto Alegre, Luiz Carlos Herrera, 66 anos, achou que o problema que enfrentava há cinco meses seria resolvido. A calçada na frente da casa do policial civil aposentado cedeu devido a problemas com a galeria de esgoto do bairro. Agora, há três semanas, a situação está ainda pior:

 Leia mais
Por que as filas do SUS parecem não ter fim
Menina espera por exames há mais de um ano, em Viamão
Um mês após furto de fiação elétrica no Viaduto da Borges, lojas seguem sem luz

— O pessoal da prefeitura veio aqui, abriu mais ainda o buraco com a promessa de reformar a galeria. Até hoje, 24 dias depois, nada mais foi feito. O problema está no pior estado que já vi.

O Diário Gaúcho relatou o drama dos moradores da via em 1º de fevereiro. Na época, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) informou que havia necessidade de reconstrução de rede pluvial. O órgão afirmou que o serviço estava na programação para começar até o final da primeira quinzena de fevereiro. Luiz explica que o período até o início do reparo foi conturbado:

—  Eles tinham prometido começar ainda em fevereiro, já depois de uma espera de cinco meses por um retorno. O tempo foi passando e nada foi feito, e no início de março entrei com uma ação no juizado especial. Logo, o juiz já tinha declarado que a obra precisava ser feita.

 Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso 

Sem retorno

Desde o final do mês passado, o aposentado tem ligado constantemente para os serviços de ouvidoria da prefeitura. Até o momento, nenhum prazo ou retorno sobre o porquê do serviço inacabado foi passado para Luiz. 

—  O pior é que para o juiz consta como se a obra estivesse acontecendo. Parece que não vou receber nenhuma resposta —  desabafa o morador da Rua Israel.

A preocupação com a proximidade entre o buraco e a sua residência já preocupava Luiz em fevereiro. Mas agora, o sentimento já beira o desespero. Sem poder entrar com facilidade no portão de casa, o aposentado está sendo obrigado a deixar seu veículo na rua:

—  A cratera está tão grande, que logo vai levar o portão junto com ela. Tenho muito medo pois vamos perder a proteção que temos contra assaltos e, com certeza, teremos um enorme prejuízo. 

Foto: Leitor DG / Arquivo Pessoal

Retorno deve acontecer ainda hoje

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) informou, por meio da Divisão de Manutenção de Águas Pluviais (DMAP), que os técnicos se depararam, em março, com uma demanda mais complexa que o esperado —  já que a intervenção precisa ser feita há cerca de 2m de profundidade. O órgão explicou que o nível de complexidade de alguns serviços só é constatado quando iniciado, em virtude de serem subterrâneos. 

A administração municipal afirmou que as demandas são priorizadas de acordo com o grau de emergência e que a intervenção já estava programada para esta semana. A SMSUrb informou que, após o começo do conserto que deve acontecer ainda hoje, a obra —  onde será feita a reconstrução de um poço de visita de pedra —  deve ser finalizada em até 5 dias.

Produção: Leticia Gomes

 Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros