Rede pluvial rompida aguarda conserto há mais de um ano, em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso30/04/2018 | 12h46Atualizada em 30/04/2018 | 12h46

Rede pluvial rompida aguarda conserto há mais de um ano, em Porto Alegre

Para a prefeitura, obras e construções irregulares, inclusive sobre as redes de esgoto pluvial tem sido responsáveis pela demora na realização do serviço

Rede pluvial rompida aguarda conserto há mais de um ano, em Porto Alegre Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Rede de esgoto se rompeu e formou cratera Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Uma espera interminável pela execução de reparos. Esta é a dificuldade enfrentada pelos moradores da Rua Frederico Etzberger, no bairro Nonoai, zona sul de Porto Alegre. Desde 2016, pelo menos, o rompimento da rede de esgoto pluvial da via vem trazendo dor de cabeça à vizinhança. 

Leia mais
Casa da Sopa ganha novos apoiadores após reportagem do Diário Gaúcho, na Capital
Falta de luz no Terminal Azenha traz insegurança para usuários do transporte na Capital
Dona de casa espera por consulta com especialista há mais de três anos, em Viamão

Isso porque, após a canalização de um córrego que passava pelo local, a força das chuvas ultrapassou a capacidade de vazão dos canos e estourou pontos da rede. Estas tubulações passam por dentro do pátio de alguns moradores, o que tem piorado a situação. 

E, enquanto aguarda uma solução para o caso, quem mora na via tem enfrentado alagamentos constantes em razão da falta de escoamento: 

— A cada chuva mais forte, alaga tudo aqui ao redor — conta Fernanda Gusmão Leite, 32 anos, que vive no bairro. 

Afastada do serviço para tratar de um câncer de colo de útero, a recepcionista é uma das moradoras mais afetadas pelo problema. Na entrada da sua residência, as chuvas fizeram desmoronar uma escada que dava acesso à rua. Agora, ela precisa usar uma passagem no pátio do vizinho como caminho para via: 

— Não consigo sair de casa pelo meu próprio pátio. Não tem como passar pela escada, pois desmoronou tudo. 

Chuvas 

Morando no bairro Nonoai desde que nasceu, ela garante que o problema começou com força depois da canalização do córrego. E, mesmo com as reclamações à prefeitura, os reparos ainda não foram feitos. 

Escadaria interditadaFoto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG

Uma das justificativas que, segundo Fernanda, foi repassada à vizinhança, é de que o Departamento de Esgotos Pluviais — antigo DEP e agora DMAP (Divisão de Manutenção de Águas Pluviais) — estava sem equipes para executar os reparos. 

— Na última vez em que alguém da prefeitura esteve aqui, na época do Carnaval, também disseram que as obras não poderiam ser feitas porque representavam riscos aos servidores, que não eram específicos para esse serviço — explica a recepcionista. 

Prefeitura não dá previsão para solução 

A assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) explicou que a DMAP já esteve no local, realizando vistoria. Segundo a pasta, durante a visita, foram constatadas diversas obras e construções irregulares, inclusive sobre as redes de esgoto pluvial. 

Essa situação, conforme a secretaria, "vem impossibilitando a realização de intervenções na rua, já que impedem o acesso e a utilização do maquinário necessário para que obras possam ser iniciadas". 

Porém, a SMSUrb garante que engenheiros da divisão estão buscando uma solução para o caso, "mas ressaltam que as irregularidades observadas potencializam as dificuldades para a obtenção de uma solução a curto prazo." 

Fernanda, moradora da via citada na reportagem, explicou que sua casa foi construída no local há 14 anos. E, segundo ela, em todo este tempo, não houve nenhuma notificação da prefeitura sobre irregularidades na construção de sua residência. 

*Produção: Alberi Neto

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros