Após abandono de construtora, duas escolas infantis estão com obras paradas, em Viamão - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso03/07/2018 | 09h30Atualizada em 03/07/2018 | 09h30

Após abandono de construtora, duas escolas infantis estão com obras paradas, em Viamão

A empresa Conembra venceu cinco licitações em Viamão, três eram para construções de novas creches na cidade. Porém, desde o fim do ano passado, a construtora interrompeu os trabalhos

Após abandono de construtora, duas escolas infantis estão com obras paradas, em Viamão Prefeitura de Viamão / Divulgação/Divulgação
Em 2016, prefeitura instalou placas para anunciar as novas obras Foto: Prefeitura de Viamão / Divulgação / Divulgação

Não foi somente na construção de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e de uma creche — planejadas para atender os bairros Florescente e Universal, em Viamão — que a construtora Conembra deixou de trabalhar. Os problemas da empresa vão além da situação na Estrada da Branquinha, mostrada pelo Diário Gaúcho no dia 29 de junho

Leia mais
Desvio da obra da Ceará segue alagando, e solução está distante, em Porto Alegre
Em Viamão, construção de UBS e creche está parada há oito meses e atrasada em mais de um ano
Moradora de Eldorado do Sul espera há seis meses resposta do INSS sobre sua aposentadoria

A Conembra, que tem sede em Santa Catarina, foi vencedora de outras duas licitações na cidade, que também estão paradas desde o fim do ano passado. Conforme a prefeitura de Viamão, os outros canteiros sem atividade são no bairro Jardim Krahe e na Vila Tarumã. Nas duas localidades, o espaço em abandono deveria ser sede de escolas de Educação Infantil. 

Em junho de 2016, a prefeitura chegou a instalar placas e a chamar a população para ouvir a promessa de construção das novas instalações educacionais. Na época, o investimento anunciado para as obras foi de quase R$ 3 milhões — com verbas vindas da prefeitura e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). 

Sem prazo 

Praticamente vizinho das obras no Jardim Krahe, o casal Varlei da Cunha Lopes, 67 anos, e Neusa Terezinha Coelho, 57 anos, não lembram a data exata em que a construção se iniciou. Metalúrgico aposentado, Varlei não acredita que a obra na Rua Almeida Rosa vá terminar tão cedo. Sua esposa, que mantém uma loja de vestidos de noiva, fica triste pelo descaso. 

Varlei e Neusa têm três netos pequenos que moram na região. Se a escola estivesse funcionando, todos poderiam utilizá-la.

— É algo que poderia estar ajudando a comunidade. Mas está ali, abandonado e estragando — lamenta o idoso.

A série de obras abandonadas pela Construtora Conembra chegou ao Diário Gaúcho no início da semana passada. A primeira denúncia encaminhada por leitores foi sobre a construção da UBS e da creche na Estrada da Branquinha. 

A prefeitura de Viamão explicou que o motivo das construções estarem paradas são as dificuldades financeiras da empresa catarinense — ela precisa fazer as obras para, depois, receber a verba pública. Os funcionários que trabalhavam no canteiro da Branquinha deixaram de receber os salários em abril. Até hoje, seguem aguardando um contato da empresa, que bloqueou as ligações para o único número disponibilizado aos trabalhadores. 

Sem prazo para as entregas 

Diferentemente da previsão dada pela prefeitura na semana passada para a conclusão das obras na Estrada da Branquinha — fevereiro de 2019 —, as escolas infantis no Jardim Krahe e na Vila Tarumã não têm data para ficarem prontas. A administração pública afirma estar em tratativas com a Conembra para a retomada dos trabalhos. 

Caso isso não ocorra, a licitação terá de ser refeita, o que pode atrasar ainda mais a conclusão dos trabalhos, conforme explica a administração. A prefeitura não tem previsão de solucionar o impasse, mas garante que "está buscando a opção que for menos onerosa para o poder público". A Conembra já foi notificada pelos atrasos por meio da Secretaria de Educação e da Procuradoria-Geral do município. 

Além das duas escolas infantis no Krahe e na Tarumã, a assessoria de imprensa da prefeitura afirmou que há outra licitação vencida pela Conembra também para a construção de uma escola infantil, no bairro Recanto da Lagoa. Mas, neste local, os serviços nem chegaram a ser iniciados. 

Investimento prometido

 Escola de Educação Infantil Jardim Krahe  
Capacidade: 120 alunos de zero a quatro anos.  
Recursos: da prefeitura, R$ 401.213,10. E, do governo federal, através do FNDE, R$ 795.558,29.
Quanto já foi construído: 32,74% da obra 

Escola de Educação Infantil Tarumã
Capacidade: 200 alunos de zero a quatro anos.
Recursos: da prefeitura, R$ 309.431,66. E, do governo federal, através do FNDE: R$ 1.493.042,11.
Quanto já foi construído: 7,67% da obra.

Total orçado: R$ 2.999.245,16

*Produção: Alberi Neto

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros