Calçada desaba e mulher fica presa em buraco, em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso08/08/2018 | 09h14Atualizada em 08/08/2018 | 09h14

Calçada desaba e mulher fica presa em buraco, em Porto Alegre

Enquanto caminhava pela Rua Anita Garibaldi, na Capital, a faxineira Andiara dos Santos caiu em um enorme buraco de quase dois metros de profundidade após a calçada ruir 

Calçada desaba e mulher fica presa em buraco, em Porto Alegre Ronaldo Bernardi / Agência RBS/Agência RBS
Andiara mostra local onde o chão ruiu bem abaixo dos seus pés Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS / Agência RBS

A faxineira Andiara Machado dos Santos, 61 anos, está com consulta médica marcada para hoje, a fim de investigar as dores que ainda sente no corpo depois do susto que levou na sexta-feira passada. 

Leia mais
Rede entupida causa alagamentos no Beco do Bibi, entre Alvorada e Viamão
Menina precisa de cirurgia para poder caminhar normalmente, em Porto Alegre
Rede de esgoto pluvial é consertada depois de três anos, em Alvorada

Enquanto caminhava pela Rua Anita Garibaldi, na Capital, a calçada ruiu, e ela caiu em um enorme buraco de quase dois metros de profundidade. O fato ocorreu por volta das 16h, logo após a mulher ter saído do apartamento no qual trabalha para levar o lixo para o ponto onde é recolhido. 

Após a queda, ela conseguiu manter apenas a cabeça e os braços para fora do buraco, se segurando com a força do corpo para não ficar totalmente submersa. 

Esgoto 

Andiara afirma que ficou "entalada" por alguns minutos porque duas pessoas, que passavam pelo local, a viram e a puxaram para fora. 

— Se eu não tivesse colocado os braços para fora, ninguém ia me achar. Acho que minha pressão subiu um monte, era capaz de ninguém mais me achar lá embaixo. Perigo, né? — relembra a faxineira. 

O interior da calçada estava oco, com água de esgoto cloacal correndo no solo. Para alertar os vizinhos, a analista de sistemas Fatima Zaffonato, 61 anos, para quem Andiara trabalha, colocou barras de metal no buraco e caixotes de madeira no entorno. 

— Agora, ninguém do prédio pode entrar ou sair de carro. E se desabam mais pedaços do chão? — questiona Fatima.

Em função dos ferimentos leves e das dores no corpo, Andiara ficou em repouso no fim de semana passado. O episódio foi relatado no aplicativo Pelas Ruas, do Grupo RBS. 

Improviso feito no local no dia do acidenteFoto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG

Conserto prometido até o fim da semana 

Após um protocolo ter sido aberto via telefone 156, o Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) visitou o local no sábado passado e identificou um "entupimento na rede de esgoto cloacal". A divisão afirma que consertou a rede de esgoto do trecho e, "em até sete dias", irá pavimentar a calçada da rua. 

O Dmae alerta, ainda, que a rede estava entupida com "resíduos diversos", o que teria ocasionado a fragilidade da calçada. Por isso, a orientação é que a população não descarte lixo nas canalizações de esgoto cloacal para não obstruir o encanamento.

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros