Em Canoas, paciente internado espera há mais de um mês por cirurgia - Notícias

Versão mobile

 

Seu Problema é Nosso14/09/2018 | 13h47Atualizada em 14/09/2018 | 13h48

Em Canoas, paciente internado espera há mais de um mês por cirurgia

O mecânico Cláudio Fernando Poffera, 55 anos, espera por uma cirurgia de hérnia de disco

Em Canoas, paciente internado espera há mais de um mês por cirurgia Arquivo Pessoal / Leitor DG/Leitor DG
Foto: Arquivo Pessoal / Leitor DG / Leitor DG

Em julho, o mecânico Cláudio Fernando Poffera, 55 anos, morador do bairro Mathias Velho, em Canoas, sentiu um desconforto nas pernas. Duas semanas depois, já estava em um quarto de hospital, na espera por uma cirurgia de hérnia de disco. Entretanto, o procedimento ainda não aconteceu. 

 Leia mais
Idosa fica mais de 24 horas sem água, em Sapucaia do Sul
Em Alvorada, lixo não é recolhido desde sábado
Idoso aguarda cirurgia de hérnia de disco há quatro anos, em Porto Alegre

Segundo a esposa de Cláudio, a faxineira Rosa Ribeiro, 52 anos, ele não consegue caminhar nem mexer os braços em função das dores e do inchaço nos pés: Rosa conta que, quando o marido sentiu o desconforto, foi levado ao Hospital de Pronto Socorro de Canoas (HPSC), onde realizou exames. 

Dores 

— O médico disse que, aparentemente, ele não tinha nada. E pediu para que fizesse exames — lembra a mulher. 

Ainda com dores, Cláudio procurou a Unidade Básica de Saúde (UBS) Mathias Velho. Lá, acreditavam que Cláudio estaria com problema no nervo ciático. No dia 9 de agosto, o mecânico consultou com o médico cardiovascular, que o encaminhou para um neurologista, que o atendeu no dia seguinte. Desde o dia 10 de agosto, Cláudio está internado no HPSC. 

— Tenho muito medo, os médicos relatam que é grave e que ele precisa de uma cirurgia com urgência — conta a esposa. 

Junta médica acompanha o paciente

O Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública ( Gamp), responsável pelo HPS de Canoas, afirmou que Cláudio está recebendo o atendimento necessário e já realizou exames, como tomografia e ressonância magnética, para avaliar a gravidade de seu quadro clínico. 

Segundo os médicos, o caso pode não ser apenas uma hérnia de disco, mas por questões éticas, e até mesmo pelo direito do paciente, não divulgarão o prontuário. Então, devido à complexidade, o Gamp salientou que Cláudio vem sendo acompanhado por uma junta médica que estuda a estratégia a ser adotada para prestar o melhor atendimento possível. Assim que a equipe chegar a uma conclusão sobre a conduta indicada, "vai ser definido o local onde será realizada a cirurgia, e o problema será solucionado". 

Produção: Eduarda Endler

 Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros