Falta da coleta de lixo seco incomoda moradores do Porto Verde, em Alvorada - Notícias

Versão mobile

 

Seu Problema é Nosso05/12/2018 | 11h42Atualizada em 05/12/2018 | 11h42

Falta da coleta de lixo seco incomoda moradores do Porto Verde, em Alvorada

Há dois anos, problemas na coleta seletiva culminaram na troca da empresa prestadora do serviço

Falta da coleta de lixo seco incomoda moradores do Porto Verde, em Alvorada DGLeitor / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Sacolas se acumulam pela calçada, conforme Gianne Foto: DGLeitor / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

A falta de coleta seletiva de lixo está incomodando os moradores do bairro Porto Verde, em Alvorada. Segundo a dona de casa Gianne Godoy, 27 anos, há um mês, a coleta desse tipo de resíduo não está sendo realizada. 

Leia mais      
Calçada em obras causa transtornos no bairro Sarandi, em Porto Alegre
Campanha em prol da nova cadeira de rodas para Joãozinho ganha apoio da dupla Gre-Nal
Depois de matéria do Diário Gaúcho, CEEE faz ação para combater quedas de luz na zona sul de Porto Alegre 

A moradora também relata que, nos quatro anos em que reside no bairro, a coleta nunca foi regular. Segundo ela, os caminhões deveriam passar às terças e quintas-feiras — conforme consta no site da prefeitura. No entanto, devido à falta do serviço, as sacolas com o lixo separado para reciclagem ficam pelas calçadas. 

— Eu até tenho onde armazenar, daí consigo evitar o acúmulo na rua. Mas e quem não tem? — questiona. 

Em 2016, problemas na coleta seletiva culminaram na troca da empresa prestadora do serviço. Em maio daquele ano, uma nova licitação foi feita, e o serviço foi normalizado, segundo a página da prefeitura de Alvorada na internet. 

Consciência 

Recicláveis são separados pelos moradoresFoto: DGLeitor / Arquivo Pessoal

No entanto, conforme o marceneiro aposentado Altemir Luis de Oliveira, 46 anos, o problema é bem mais antigo. 

— Moro há nove anos no bairro e nunca foi 100% (o serviço). Eles (a prefeitura) sempre dizem que não tem caminhão porque estragou, ou estão em reunião interna. Já liguei para a prefeitura, e eles não resolvem — conta o morador. 

Para Gianne, além da não ocorrer o serviço, falta incentivo da prefeitura para promover o descarte e o recolhimento corretos de recicláveis. 

— Me recuso a deixar de separar ou entregar (o lixo seco) para que seja coletado pelo caminhão do lixo orgânico — afirma a dona de casa. 

Altemir acredita que “ o que falta é interesse em coletar”. O morador se esforça para fazer o descarte corretamente para não prejudicar o ambiente, mas sente que há falta de ação da prefeitura para resolver o problema que, conta ele, está mais reincidente há dois meses. 

— Eu junto o lixo, lavo as caixas de leite, as latas e separo tudo direito. Ligo para a prefeitura todas as terças-feiras, e eles me falam várias desculpas. Me orientam a pôr o lixo seletivo no dia em que passa o orgânico. Acho um absurdo, depois de ter separado tudo — afirma o leitor. 

Prefeitura promete retomar serviço hoje 

O secretário de Serviços Urbanos, Marcos Paulo Barbosa da Silva, informou que a coleta seletiva era realizada regularmente por uma empresa terceirizada até agosto. No entanto, devido ao fim do contrato, o serviço foi paralisado naquele mês. 

— O contrato está em processo de licitação e, hoje, a prefeitura utiliza um caminhão próprio que, infelizmente, devido a problemas de manutenção, acabou não conseguindo atender as demandas de todos os bairros — informou o secretário. 

Segundo Marcos Paulo, a coleta será retomada hoje, após o conserto do caminhão. Os bairros serão atendidos conforme o fluxo previsto no cronograma que consta na página oficial da prefeitura.

Produção: Ásafe Bueno

 Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros