Professor de capoeira busca contribuições para compra de abadás, em Porto Alegre - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso27/12/2018 | 09h00Atualizada em 27/12/2018 | 09h00

Professor de capoeira busca contribuições para compra de abadás, em Porto Alegre

Cerca de 25 crianças e jovens participam das aulas e aguardam o batizado, que acontecerá assim que conseguirem as vestimentas de capoeiristas

Professor de capoeira busca contribuições para compra de abadás, em Porto Alegre Carlos Macedo / Agência RBS/Agência RBS
Adriano e seu time Foto: Carlos Macedo / Agência RBS / Agência RBS

A solidariedade invade os corações, principalmente, em clima de final de ano. No caso de Adriano Vieira, 38 anos, pintor predial e contramestre de capoeira, o caráter solidário é formado pelo compromisso com as crianças do grupo de capoeira da Vila São Judas Tadeu, no bairro Partenon, em Porto Alegre. O pintor, que ensina o esporte voluntariamente, une esforços com a comunidade para adquirir o tecido para a confecção dos abadás — calças que compõem a indumentária dos capoeiristas. O valor necessário para a compra é de R$ 450. 

Leia mais   
Em Novo Hamburgo, entulhos de poste deixados na calçada dificultam a passagem de moradores
Menina de São Leopoldo precisa de ajuda para realizar uma reparação de deformidade do crânio
Aos poucos, rotina volta ao normal para crianças alérgicas 

As aulas de capoeira reúnem cerca de 25 crianças e jovens na sede da Associação de Moradores da Vila São Judas Tadeu (Amovita). Adriano conta que o projeto social é realizado há cinco anos sem cobrar taxas. A iniciativa conta apenas com contribuições voluntárias.

— Não temos verba. Há alguns anos, ganhamos o berimbau da associação. Não recebo nada, ganho os sorrisos das crianças e isso já está bom — relata. 

A intenção de Adriano é organizar o batizado dos alunos — celebração que os certificará como capoeiristas — assim que as vestimentas estiverem prontas.

— O batizado será feito pelo mestre Luiz Antônio Loreto, conhecido como Militar, que me ensinou na Associação Capoeira de Rua Berimbau, em Santa Maria. É muito bom as crianças terem outros ensinamentos, pois o esporte também as educa.

A presidente da Amovita, Sandra Paim, garante que o trabalho de Adriano faz diferença na comunidade:

— As crianças têm ele como uma referência boa, um homem do bem. Nas aulas, Adriano ensina os pequenos a ter disciplina e respeito.

As aulas acontecem nas terças e quintas com crianças e jovens da comunidadeFoto: Carlos Macedo / Agência RBS

Apoio

Além da colaboração da Amovita, Adriano conta com a ajuda de Jane Brochado, moradora da comunidade que se propôs a confeccionar os abadás:

— Fizemos uma rifa, mas o valor não foi suficiente para comprar o tecido. Arrecadamos R$ 382. Não daria para fazer todos os uniformes, então, preferimos esperar termos mais dinheiro. 

Segundo Jane, o quilo do tecido, que é a helanca, custa entre R$ 39 e R$ 45. Para a confecção de todos os abadás, seria preciso em torno de 10 quilos.

— As crianças variam muito de tamanho, tem uns pequenininhos e uns maiores, por isso não dá uma quantidade de tecido exata para cada um — explica Jane.

O objetivo da arrecadação é os abadás, porém, segundo Adriano, o que sobrar será revertido para a compra de outras necessidades.

— Precisamos também de um tatame, camisetas e uma caixa de som. Qualquer ajuda é bem-vinda — salienta o professor. 

Como ajudar

/// A entrega de doações em dinheiro ou em tecido pode ser feita na Amovita (Rua Nelson Duarte Brochado, 24, bairro Partenon), em Porto Alegre. São aceitas calças de capoeira prontas. 

/// Outras doações também são recebidas, como de tatames e camisetas. 

/// Mais informações podem ser obtidas com a colaboradora do projeto, Jane Brochado, pelo número (51) 99838-8637. 

 Produção: Caroline Tidra

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros