Falta de bateria para cadeira de rodas dificulta locomoção de morador de Porto Alegre  - Notícias

Vers?o mobile

 

Seu Problema é Nosso12/02/2019 | 10h23Atualizada em 12/02/2019 | 10h23

Falta de bateria para cadeira de rodas dificulta locomoção de morador de Porto Alegre 

João Luís Bizarro, 58 anos, morador do bairro Rubem Berta, precisa de uma bateria nova para sua cadeira de rodas elétrica. O equipamento, que custa R$ 600, vai ser comprado com doações feitas na vaquinha online

Falta de bateria para cadeira de rodas dificulta locomoção de morador de Porto Alegre  Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Sem o equipamento elétrico, João Luís usa a cadeira de rodas comum Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Ao longo da vida, João Luís Bizarro, 58 anos, morador do bairro Rubem Berta, zona norte da  Capital, enfrentou diversos problemas devido à sua condição. Na infância, foi diagnosticado com paralisia e, por isso, nunca conseguiu caminhar sem auxílio. Ainda jovem, usava um aparelho que o mantinha em pé, mas, com o avanço da idade, precisou utilizar cadeira de rodas para se locomover. Hoje, João necessita de uma nova bateria para sua cadeira de rodas elétrica. 

Leia mais
Ruas sem luz causam medo em moradores de Porto Alegre  
Poste é retirado de trecho de avenida, em Viamão, após de reportagem do Diário
Avenida inacabada complica acesso à praia, em Balneário Pinhal 

Sobrinha de João Luís, a captadora de recursos desempregada Gabriele Rocha, 32 anos, conta que, há poucos anos, ele ganhou uma cadeira de rodas elétrica da AACD. O presente foi bem-vindo, pois ele, que mora de aluguel e depende de uma pensão, não possui condições financeiras para um investimento como este. 

Obstáculos 

Segundo Gabriele, a cadeira teve de passar por um conserto e também foi necessário comprar um novo carregador. Porém, agora, o problema é a bateria — ela tem de ser trocada. 

A cadeira manual está com o eixo quebrado e, por isso, João necessita que alguém para empurrá-loFoto: LeitorDG / Arquivo Pessoal

— Nem ele nem eu temos condições de comprar uma nova bateria. O custo é de R$ 600, sendo R$ 20 o valor do deslocamento para a troca da bateria. A cadeira está parada há cerca de dois anos — conta Gabriele. 

Enquanto não consegue a bateria, ele usa uma cadeira de rodas comum, mas, conforme a sobrinha, a locomoção se torna mais complicada: 

— A cadeira manual está com o eixo quebrado. Além disso, é mais difícil, pois ele sofre de problemas na coluna e não consegue se conduzir sozinho. 

Com a intenção de ajudar o tio a conseguir a bateria, Gabriele divulgou um vídeo nas redes sociais e também está fazendo uma vaquinha online. Até o momento, foram arrecadados R$ 25. No vídeo, João segura a bateria que não funciona e acrescenta, ao final, que também precisa de uma geladeira. 

— Ele comprou uma geladeira usada, que descongela o tempo todo. Mas a bateria é a prioridade, com certeza — afirma Gabriele. 

Como ajudar

/// É possível contribuir pela vaquinha online

Produção: Caroline Tidra

 Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros