Esgoto a céu aberto inquieta moradora do bairro Umbu, em Alvorada - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso29/03/2019 | 09h40Atualizada em 29/03/2019 | 09h40

Esgoto a céu aberto inquieta moradora do bairro Umbu, em Alvorada

O problema afeta a rotina da auxiliar administrativa Nair Eneida desde que ela comprou o imóvel há dois anos. Segundo a prefeitura, uma análise será feita na rua para esclarecimento da situação

Esgoto a céu aberto inquieta moradora do bairro Umbu, em Alvorada LeitorDG / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Dejetos ficam na frente de casa Foto: LeitorDG / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Lavar roupas, tomar banho e sair na rua são sinônimos de incomodação para a auxiliar administrativa Nair Eneida Silva de Almeida, 28 anos. Ela, que mora na Rua Tupã, 771, no bairro Umbu, em Alvorada, conta que há uma tampa de bueiro em frente ao portão de casa que extravasa esgoto cloacal pela via. 

Leia mais
Construção de creche está parada há três anos em Gravataí  
Após vencer competição de muay thai na Tailândia, Simoni retorna com planos para o futuro   
Ônibus voltam a circular em direção ao Campus do Vale, da UFRGS, na Capital  

— Qualquer coisa que eu faça com água transborda lá na frente. Tenho que lavar roupas depois que anoitece para não prejudicar a vida dos vizinhos — conta Nair. 

Mãe de três crianças, Nair lamenta que os filhos não podem brincar na rua: 

— Já fizemos de tudo para tentar desentupir. Em dias de calor, bons para limpar a casa, as crianças querem brincar de bola aqui na frente e não podem. Não temos prazer nem de tomar um chimarrão sentados na parte da frente. Mas o pior é se algum deles pega uma doença no lamaçal sujo. 

Problema 

Segundo a auxiliar, desde que o imóvel foi comprado, apresenta problemas com esgoto. 

— Logo que compramos, faz dois anos, entupiu. Mas, a pessoa que nos vendeu pagou o conserto, contratando serviço particular. Depois de um tempo, um caminhão foi fazer retorno e passou por cima da tampa, que acabou quebrando o bueiro e piorando a situação — relembra Nair. 

Ela conta que, quando solicitou a instalação da água, a Corsan esteve no local e vistoriou: 

— Me disseram que, para poder ter água, eu também deveria ter esgoto. Então, fiquei tranquila. 

Sem solução, Nair procurou a administração municipal. Contudo, de acordo com ela, a prefeitura informou que precisaria de um caminhão de hidrojateamento da Corsan. 

— A rua não é pavimentada. Quando chove, fica um barro vermelho. Estou há bastante tempo recorrendo para o conserto do bueiro, mas parecem que não estão nem aí para as minhas reclamações — lamenta Nair. 

Prefeitura esteve ontem no local

A Corsan afirmou que “não possui redes de esgotos no Umbu, portanto, não há cobrança de tarifas” na conta de água da companhia. Segundo a entidade, a demanda do local é de responsabilidade do município. 

Na manhã de ontem, a prefeitura de Alvorada, questionada sobre o conserto do problema e a previsão para o serviço, respondeu que uma equipe de manutenção foi encaminhada ao local para a resolução. Contudo, até o fechamento desta reportagem, não havia informações sobre esse retorno. 

O secretário de Obras e Viação (Smov), Liberto Mentz, garantiu que uma análise será feita na região, pois não há registro de que exista canalização para uma rede pública de esgoto na rua. Além disso, o secretário afirmou que daria um esclarecimento sobre o problema até o final desta sexta-feira. 

Produção: Caroline Tidra

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros