Obra inacabada atrapalha rotina de moradores e comerciários na Restinga Nova, em Porto Alegre - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso11/04/2019 | 09h35Atualizada em 11/04/2019 | 09h35

Obra inacabada atrapalha rotina de moradores e comerciários na Restinga Nova, em Porto Alegre

A retirada das pedras da via ocorreu para obras de substituição de redes de água. O Dmae afirma conclusão será feita até o final do mês

Obra inacabada atrapalha rotina de moradores e comerciários na Restinga Nova, em Porto Alegre Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Areia foi colocada por funcionários de posto Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Desde dezembro do ano passado, quem circula pela Rua Engenheiro Homero Carlos Simon, na altura do número 5.470, na Restinga Nova, em Porto Alegre, está vivendo um dilema. Passar ou não passar com o carro pela via? Uma obra do Dmae, não concluída, deixou buracos na rua e causa apreensão nos motoristas e pedestres, que temem a ocorrência de acidentes. 

Leia mais
Falta de medicamentos fornecidos pelo Estado prejudica aposentado, em Cidreira
Terreno da prefeitura ao lado de posto de saúde é usado para descarte irregular de lixo, em Alvorada
Projeto que recicla materiais escolares usados precisa de doações, em Porto Alegre  

O gerente de posto de combustíveis Carlos Alberto Casado de Lima Filho, 47 anos, trabalha em um estabelecimento em frente aos buracos e afirma que o problema afeta o movimento. Segundo ele, equipes da prefeitura já vistoriaram e fizeram obras no local devido a problemas com esgoto. No entanto, resolvido um problema, criou-se outro. 

— Vieram aqui, arrancaram as pedras, fizeram os buracos, disseram que iam retornar na semana seguinte e nunca mais voltaram. Aconteceu que, devido à chuva e a carros passarem por cima, o problema foi piorando. Causou prejuízo aos clientes. Alguns se incomodam, pensando que é responsabilidade do posto — relata o gerente, o qual afirma ter sido contatado por usuários devido a danos ocorridos em seus veículos. 

Iniciativa 

Ao fazer o serviço, o Dmae retirou as pedras de paralelepípedo que pavimentam a rua. O trecho se estende por boa parte da entrada do posto de combustíveis até um condomínio, ao lado. 

Frente ao problema, Carlos Alberto relata ter entrado em contato com a prefeitura pelo número de telefone para solicitação de serviços. No entanto, não houve novos trabalhos, e ele decidiu, junto a outros funcionários, colocar areia para amenizar a situação dos buracos — com profundidade de 50 centímetros, segundo ele. Porém, a medida não resolveu o problema. 

— Nós temos mais 14 protocolos no 156. Já fiz reclamação via internet, contatei a imprensa e até páginas locais da Restinga. É a comunidade que tá sofrendo isso, não somente o comércio. Imagina se alguém cai ali, se bate (com o carro) e quebra um para-lama, estoura um pneu ou amassa um aro. É muito complicado — relata Carlos Alberto. 

Conclusão prevista para este mês

O Dmae informou que ainda está realizando obras de substituição de redes de água na Restinga Nova. Na Rua Homero Carlos Simon, as pedras não foram recolocadas “porque ainda será feita uma interligação de redes”, explica. 

Quando equipes da prefeitura estiveram no local, identificaram a necessidade de “uma peça em formato especial, que já foi providenciada pela empresa contratada”, assegura o Dmae. 

A previsão é retomar e concluir a obra até o final de abril. 

Produção: Ásafe Bueno

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros