Com investimento de R$ 1,5 milhão, creche concluída há 19 meses segue fechada na Zona Sul - Notícias

Vers?o mobile

 
 

112 vagas31/05/2019 | 05h00Atualizada em 31/05/2019 | 05h00

Com investimento de R$ 1,5 milhão, creche concluída há 19 meses segue fechada na Zona Sul

Prédio fica no bairro Belém Novo, que não possui escolas de educação infantil

Com investimento de R$ 1,5 milhão, creche concluída há 19 meses segue fechada na Zona Sul Omar Freitas/Agencia RBS
Prédio novo contrasta com o matagal que cresce no pátio da futura escola Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

Em Porto Alegre, cidade onde a oferta de vagas para crianças de zero a cinco anos é cada vez mais disputada, uma creche pública foi construída — e concluída — há 19 meses, sem jamais ter sido aberta.

Ainda sem nome, a escola de educação infantil, erguida ao lado do Colégio Estadual Glicério Alves, no bairro Belém Novo, extremo-sul da cidade, está pronta desde outubro de 2017 e fechada desde então, por dificuldade da prefeitura em selecionar a entidade que fará a administração do local.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

A obra recebeu investimento de R$ 1.520.889,72, com 42% de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Ministério da Educação, e 58% de verba municipal. 

Com capacidade para atender 112 crianças, o prédio novo contrasta com o matagal que cresce no pátio da futura escola, em um cenário de abandono.

A dona de casa Dara Marques, 23 anos, chegou a fazer inscrição para o filho Victor, quatro anos, na escola que até hoje está fechada. Segundo Dara, houve até reunião com os pais que estavam interessados nas vagas:

— Isso deve fazer uns dois anos já. Essa obra começou quando meu filho nasceu. Claro que eu sempre contei com essa creche, ela fica muito perto da minha casa, imaginei que já estaria funcionando — conta.

Leia também
De 257 escolas, 236 têm fila de espera para Educação Infantil em Porto Alegre
De creches a postos de saúde: 20 obras públicas que já consumiram R$ 15 milhões e estão paradas na Região Metropolitana
Obras públicas inacabadas afetam vidas das comunidades vizinhas

Só de passar em frente à creche, o menino Victor se empolga, reconhece que aquela “é a sua escolinha” e pede aos pais para frequentá-la.

— É uma creche pintada, com cara de nova e que nosso filho não pode usar — lamenta o pai do garoto, Josué Rodrigues, 24 anos. 

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 08/05/2019: Creche prontas e sem uso. Creche ao lado do Colégio Estadual Glicério Alves está concluída e fechada. CASES: Dara Marques, com o filho Victor, 4 anos e o marido Josué Rodrigues . (Foto: Omar Freitas / Agência RBS)
Dara Marques, com o filho Victor, 4 anos e o marido Josué RodriguesFoto: Omar Freitas / Agencia RBS

Dificuldade

A situação é pior porque o Belém Novo não tem nenhuma outra creche pública. As unidades mais próximas dali estão no bairro Lageado, a Escola Dom Dadeus Grins, e na Ponta Grossa, onde fica a Escola Recanto dos Pequeninos.

Este cenário se agrava ainda mais pelo fato de a Zona Sul ser a região da Capital que concentra a maior fila de espera por vagas. Levantamento divulgado pelo Diário Gaúcho no final de abril mostrou que os bairros da região têm 2.595 inscrições para vagas que não existem.

A Secretaria Municipal de Educação (Smed) da Capital confirma que tem enfrentado barreiras na escolha da entidade que administrará a escola. Quando passar a funcionar, a instituição será do tipo comunitária, no qual a prefeitura repassa um valor mensal de R$ 525 por criança matriculada e uma associação da sociedade civil contrata os professores e gerencia a escola.

De acordo com a Smed, o primeiro edital para escolha da entidade foi lançado em abril de 2018 e anulado um mês depois, por inconsistências. 

O segundo foi lançado no final de maio 2018, quando houve uma disputa de recursos entre as candidatas, o que levou à judicialização e posterior anulação da concorrência em janeiro deste ano.

Leia também
Porto Alegre não terá mais Ensino Médio e Técnicos na rede municipal
Levantamento aponta falta de mais de 7 mil professores na rede estadual

Um terceiro edital foi aberto em abril de 2019, está em fase final, com publicação do resultado previsto para junho. A previsão da Smed é de que a escola seja inaugurada no segundo semestre.

Dados da obra

/// Onde: Belém Novo, ao lado do Colégio Estadual Glicério Alves
/// Capacidade: 112 vagas
/// Valor total da obra:  R$ 1.520.889,72 dos quais parte do FNDE e parte da prefeitura
/// Concluída desde outubro de 2017

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros