Buracos e desgaste do asfalto atrapalham trajeto de ônibus na zona sul da Capital - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Problema26/06/2019 | 05h00Atualizada em 26/06/2019 | 05h00

Buracos e desgaste do asfalto atrapalham trajeto de ônibus na zona sul da Capital

Asfalto das faixas e corredores de ônibus está cedendo em vários trechos

Buracos e desgaste do asfalto atrapalham trajeto de ônibus na zona sul da Capital Mateus Bruxel/Agencia RBS
Na Avenida Nonoai, situação do asfalto complica o trajeto Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Há alguns dias, um motorista de ônibus, que não quis se identificar, relata ter quebrado o espelho retrovisor do veículo que dirigia pelas principais vias da zona sul de Porto Alegre, tamanho o sacolejar em função das deformidades que se formam pelo asfalto. Avenidas importantes da região, como Cavalhada, Nonoai, Eduardo Prado e Juca Batista, estão com diversos trechos com asfalto irregular, cedendo, rachado e com buracos. A situação não seria de hoje, segundo o profissional. 

— Faz tempo que está assim. Como vamos ter ônibus novos com as ruas desse jeito? Bate tudo, sem falar nas obras mal acabadas pelo caminho — relata. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

No final da semana passada, a reportagem percorreu as quatro avenidas, tanto no sentido bairro-Centro, como no sentido contrário, e a situação é parecida em todas elas. Em alguns trechos, o asfalto chega invadir as calçadas em função das deformidades. Bueiros que dão acesso às redes de esgotos e outros usados por empresas de telefonias também contribuem para que o asfalto ceda, causando o desnivelamento da pista e o aumento na trepidação dos veículos. 

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 20-06-2019: Buracos e deformação no asfalto em parada de ônibus na avenida Juca Batista, na zona sul. Motoristas de transporte coletivo e passageiros reclamam da situação das vias. (Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS)
Na Juca Batista, remendos e retalhos no asfaltoFoto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Nas paradas de ônibus, que precisam suportar o peso dos veículos parados, as situações são ainda mais recorrentes. Muitos veículos saem da faixa de ônibus para pistas secundárias a fim de evitar o asfalto defeituoso. 

Rotina

Os militares Juan Teixeira, 18 anos, e Lucas Moraes, 20 anos, usam o T11 diariamente para se deslocar na Capital. 

Leia também
Fim dos buracos, da lama e da poeira: começa obra de asfaltamento de 16 ruas em Alvorada
Avenida Gildo de Freitas, em Viamão, tem obra de pavimentação deixada pela metade
Buracos dificultam locomoção de morador cadeirante, em Porto Alegre

— O problema está por várias ruas, é um barulhão dentro do ônibus. Ali na Juca Batista já aconteceu de estragar (o ônibus), mas temos que nos acostumar, pois é o que se oferece — comentam os amigos. 

Bem em frente ao Zaffari da Avenida Juca Batista, há um paradão de ônibus. Nele, o asfalto está retalhado e remendado. Usuária diária da linha 171, a cuidadora de idosos Eli Trelha, 67 anos, conta o quão difícil é circular pelas ruas da Zona Sul:

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 20-06-2019: Buraco e deformação no asfalto em faixa para ônibus na avenida Eduardo Prado, na zona sul. Motoristas de transporte coletivo e passageiros reclamam da situação das vias. (Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS)
Deformação na Eduardo Prado: consequência para quem anda de ônibus é o "sacolejo"Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

— Moro na Ponta Grossa e trabalho na Pedra Redonda. É horrível andar assim, é ônibus que estraga, fica bem complicado.

A aposentada Maria de Lourdes Buselatto, 64 anos, que utiliza quase todas as linhas que circulam pela zona sul da Capital, destaca que muitas vezes os ônibus estacionam longe do meio-fio para escapar dos desnivelamentos das pistas. 

— Nesse estado, eles têm até dificuldade de estacionar. Quando estou dentro do ônibus não consigo nem mais ficar em pé de tanto que balança — relata.

Obras estruturais para breve

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 20-06-2019: Buraco em faixa para ônibus na avenida Cavalhada, altura do número 4217, na zona sul. Motoristas de transporte coletivo e passageiros reclamam da situação das vias. (Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS)
Os buracos, como este na Avenida Cavalhada, são comunsFoto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Em nota, a Divisão de Conservação de Vias Urbanas (DCVU) informou que vem trabalhando constantemente nas vias retratadas pela reportagem, assim como em toda a zona sul da Capital. Ainda na semana passada, por exemplo, teria feito reparos na Avenida Nonoai e, nesta semana, segue com as manutenções. "

Vale ressaltar ainda que nove equipes, somando mais de 60 profissionais, trabalham diariamente na conservação do asfalto, calçamento, patrolamento, entre outras pequenas obras nas vias da região. Por fim, a prefeitura de Porto Alegre lembra que tem estudos e projetos em andamento e que vai licitar, em breve, obras estruturais desses locais".

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros