Ponte danificada preocupa moradores dos bairros Fátima e Mato Grande, em Canoas  - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso12/07/2019 | 08h00Atualizada em 12/07/2019 | 08h45

Ponte danificada preocupa moradores dos bairros Fátima e Mato Grande, em Canoas 

Além de muretas e pavimento precários, há pouco espaço para pedestres atravessarem no local

Ponte danificada preocupa moradores dos bairros Fátima e Mato Grande, em Canoas  Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Moradores temem acidentes devido à precariedade das estruturas Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Quem cruza diariamente a ponte que divide os bairros Fátima e Mato Grande, em Canoas, pode notar os problemas do trecho: a mureta de concreto está quebrada e o asfalto, danificado. A ponte faz parte da Avenida Engenheiro Irineu de Carvalho Braga e tem cerca de sete metros de comprimento. 

Leia mais
Mulher com paralisia cerebral espera transferência para cirurgia "urgente" há 15 dias, em São Jerônimo
Escola de São Lourenço do Sul se mobiliza pela construção de um laboratório de Ciências
Após mais de quatro anos de espera, idosa consegue cirurgia   

O técnico em Segurança do Trabalho, Luis Almeida, 33 anos, é morador do bairro Mato Grande e usa a ponte como caminho para ir até o trabalho:

— Todos os dias vejo carros passando e quase derrubando as crianças que também acessam o bairro por ali. A ponte é estreita e a calçada para os pedestres é um espaço pequeno com a proteção quebrada. Então, qualquer um pode cair.

Além do pouco espaço, Luis destaca que veículos pesados passam por ali.

— Quando um caminhão está vindo, os motoristas têm que esperar a travessia. Existem empresas de grande porte com caminhões que vão e vêm. A ponte não suporta passar dois veículos largos ao mesmo tempo. É um transtorno — explica o técnico. 

Seu Problema é Nosso , spn , canoas , ponte , condições, Av. Eng. Irineu Carvalho Braga, Fátima, Mato Grande
Proteção quebradaFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Segurança

Em 2015, a ponte chegou a ser interditada devido a um desmoronamento ocasionado por chuva. 

Conhecedor das normas de segurança e prevenção de acidentes, Luis preocupa-se com as condições da estrutura:

— Os bairros cresceram muito nos últimos anos e aumentou a circulação pelo local. Até colocaram umas escoras de madeira, mas não sei qual a função delas ali. Minha atividade no trabalho é prever acidentes, e a situação da ponte precisa de atenção da prefeitura, antes de acontecer alguma coisa. 

Segundo ele, a alternativa para cruzar os bairros aumenta em cerca de seis quilômetros o trajeto.  

Nova estrutura está prevista

A Secretaria Municipal de Obras (SMO) de Canoas afirma que possui um projeto de implantação de uma nova ponte no local. Em nota, a pasta comunicou que “embora não existem muitas moradias na região nem muito fluxo de pedestres, a SMO está atenta à situação e estudando providências emergenciais, enquanto a nova ponte não é construída”.

Questionada sobre as escoras de madeira, a secretaria esclareceu que os apoios foram colocados “para proteger as encostas do Arroio Araçá, não têm relação com a estrutura da ponte”.

Em relação aos prazos para reparos na mureta de proteção e quando será feita a nova ponte, a SMO informou que está estudando as providências e que será em breve, mas não há como garantir uma data.

Produção: Caroline Tidra

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros