Clínica da Família da Restinga passa a tarde fechada após anúncio de mudança de gestão - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Saúde23/08/2019 | 19h54Atualizada em 23/08/2019 | 19h54

Clínica da Família da Restinga passa a tarde fechada após anúncio de mudança de gestão

Entidade que atualmente administra o hospital do bairro deve assumir também o local, segundo a SMS

Clínica da Família da Restinga passa a tarde fechada após anúncio de mudança de gestão Jefferson Botega/Agencia RBS
Portas fechadas na tarde desta sexta-feira (23) Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS

Quem buscou atendimento na Clínica da Família da Restinga, em Porto Alegre, na tarde desta sexta-feira (23), deu com a cara na porta. A decisão de fechar foi tomada pelos próprios funcionários, segundo a prefeitura, após agentes da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) comunicarem aos servidores que o local passará, em breve, por uma troca de gestão. Segundo o órgão, o atendimento deve ser retomado na segunda-feira (26).

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

O comunicado aos funcionários ocorreu enquanto o Hospital Restinga e Extremo-Sul, que divide o terreno com a Clínica, comemorava um ano sob a gestão da Associação Hospitalar Vila Nova. A entidade deverá ser a responsável também pela administração da Clínica da Família, como adianta o secretário-adjunto da SMS, Natan Katz. Atualmente, a clínica é administrada pela própria prefeitura.

— Achamos justo informar os servidores com antecedência a nossa intenção. Porém, houve um desconforto e, diante do fato, eles decidiram fechar a clínica durante a tarde — relata o secretário.

Conforme o Conselho Municipal de Saúde (CMS), que foi comunicado da decisão da prefeitura por servidores que trabalham na Clínica da Família, o fechamento no turno da tarde foi pelo entendimento de que eles seriam desligados do município. Coordenadora do CMS, Maria Letícia de Oliveira Garcia diz que o órgão também não foi comunicado oficialmente pela prefeitura da ideia de terceirizar a clínica.

— Nós somos o órgão do SUS (Sistema Único de Saúde) que delibera sobre todas as questões da saúde pública da Capital. A SMS tem que nos comunicar até dos projetos que pretende fazer, como este. E isto não aconteceu — contesta Maria.

Qualificação

Conforme o secretário-adjunto, "nenhum servidor será demitido". Todos serão realocados em outras instituições, buscando "qualificar o atendimento na rede básica de saúde da cidade". Natan diz que a parceria com a associação Vila Nova ampliar o atendimento na Clínica da Família.

Leia também
Rotatividade de profissionais, falta de exames e poucas equipes: as dificuldades da saúde pública no extremo sul da Capital
Unidades de saúde de Esteio adotam "faltômetros" para chamar a atenção de usuários sobre faltas em consultas
Ministério Público investiga falta de profissionais na saúde pública da Capital

Questionado sobre a retomada do atendimento no local, Natan diz que o cenário deve se normalizar na segunda-feira, pois não "há razão para os servidores deixarem de trabalhar". Além disso, ele garante que a prefeitura está amparada legalmente em relação à contratualização do serviço prestado atualmente pelo município.

A assinatura do contrato entre a prefeitura e Associação Hospitalar Vila Nova deve ocorrer nos próximos dias. Com isso, a entidade também deverá assumir a gestão da Clínica da Família da Restinga em até dois meses. Por enquanto, a adminsitração municipal deve continuar no comando do espaço.

Pacientes ficaram perdidos

A reportagem foi até a Clínica da Família na tarde desta sexta. Em poucos minutos, vários pacientes chegaram ao local para buscar atendimento, sem saber que a unidade estava fechada. O marceneiro Fabrício Ferraz, 21 anos, por exemplo, torceu o joelho e foi buscar atendimento no Hospital da Restinga. Depois da passar pela emergência, recebeu encaminhamento para retirada de medicamentos na Clínica da Família. Foi surpreendido com o recado na porta informando o fechamento:

— Preciso pegar remédios para a dor, mas está fechado. Não sei o que vou fazer.

Grávida de sete meses, a auxiliar de cozinha Andrielly da Fonseca, 23 anos, tinha uma consulta do seu pré-natal agendada. Entretanto, ficou sem saber quando o médico irá recebê-la.

— Meu atendimento estava marcado para as 16h30min, mas não tinha ninguém nem para dar uma informação sobre o que eu devo fazer agora — reclama Andrielly.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros