RESOLVIDO: A vitória da judoca Vanessa fora do tatame - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso06/09/2019 | 16h19Atualizada em 06/09/2019 | 16h19

RESOLVIDO: A vitória da judoca Vanessa fora do tatame

Atleta, agora, está empenhada em voltar à rotina de treinos

RESOLVIDO: A vitória da judoca Vanessa fora do tatame Beatriz Paranhos/Arquivo Pessoal
Alegria no pós-operatório Foto: Beatriz Paranhos / Arquivo Pessoal

A judoca Vanessa Paranhos, 16 anos, do bairro Restinga, no extremo sul da Capital, conseguiu realizar a tão esperada cirurgia nos ombros. A jovem atleta não podia mais treinar pois apresentava luxação recidivante de ombros. Isso quer dizer que o osso do seu braço (úmero) se desencaixa quando ela faz esforço físico, limitando seus movimentos.

Aguardando na fila do SUS desde fevereiro deste ano, a primeira operação foi realizada no dia 20 de agosto. A próxima, e última, será em novembro. Mesmo com um longo tempo de recuperação pela frente, Vanessa está muito feliz e conta os dias para sua volta ao tatame: 

– Estou muito ansiosa, não vejo a hora de voltar.

 LEIA MAIS  
Pavimentação em frente ao Instituto Federal de Alvorada fica na promessa
Em Viamão, cratera aberta há mais de um ano preocupa moradores
Isadora vai realizar seu sonho: caminhar e usar sapatos    

Cirurgia

Na edição do Diário Gaúcho de 28 de janeiro, mostramos a situação de Vanessa. Na época, o tempo de espera do procedimento era de 656 dias, o que poderia prejudicar a carreira da judoca. A solução encontrada foi criar uma vaquinha online para arrecadar o valor da cirurgia, cerca de R$ 18 mil. 

Pouco mais de um mês após a publicação no DG, Vanessa foi chamada para as consultas pré-operatórias e conseguiu realizar a cirurgia pelo SUS no Hospital Independência, em Porto Alegre. 

A diarista Beatriz Paranhos, 45 anos, mãe da jovem, conta que já sabia que a filha amava o esporte, mas agora está encantada com o esforço que ela está fazendo. 

– Ela é muito forte, isso que eu admiro muito. Não é por ser milha filha, mas estou admirada com a força de vontade dela – declarou. 

Vaquinha vai para equipamentos

Devido às cirurgias, a atleta precisará ficar de repouso por algum tempo. Se seguir à risca as recomendações médicas para a recuperação, já poderá voltar a competir no ano que vem. Beatriz garante que as orientações médicas estão sendo cumpridas pela filha: 

– Ela tem feito tudo o que o médico mandou. Está repousando, tudo certinho, para voltar logo para o judô.

Agora, com a cirurgia feita, Vanessa e a mãe pretendem utilizar os R$ 710 arrecadados com a vaquinha online para a compra de novos equipamentos para os treinos. A diarista acredita que o tempo de repouso vai fazer Vanessa evoluir mais ainda no esporte.

– Ela pode cair mil vezes, mas levanta e chega onde quer – elogia a mãe.

Depois da cirurgia, fisioterapia

De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital Independência, o procedimento feito em Vanessa, chamado de latarjet, é o mais indicado para atletas. São dois os principais motivos para isso: a cirurgia não comprometerá os movimentos dos ombros – tão importantes para a judoca – e o tempo médio de recuperação é de 90 dias. 

Vanessa vai começar, na próxima semana, as sessões de fisioterapia no próprio Hospital Independência, também pelo SUS.

Produção: Thayná Souza

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros